domingo, março 03, 2024

"Pairing"

No parlamento britânico, havia (não sei se ainda há) uma prática segundo a qual dois deputados - um do lado do governo, outro da oposição - combinavam ausentar-se simultaneamente em determinadas votações. A sua dupla ausência não afetava o equilíbrio final do voto. Ambos podiam assim regressar mais cedo às suas "constituencies", às vezes adiantando o termo da semana parlamentar. Tinham naturalmente de ser pessoas de bem, rigorosamente cumpridoras da sua palavra. Alguns membros da "House of Commons" tinham esses duetos combinados, durante anos. Não é, contudo, de surpreender que esta fosse uma prática fortemente desaconselhada pelas direções partidárias, que deveria irritar os "whips", os controladores partidários dos votos.

Lembrei-me disto hoje, ao chegar ao local do voto antecipado em Lisboa. Na escadaria do edifício da Faculdade de Direito, deparámo-nos com um casal de pessoas muito amigas, que já tinha votado, num sentido que sabíamos inequívoco, em absoluto contrastante com o nosso. E eles também sabiam bem qual iria ser o sentido do nosso voto. Aliás, nem se falou de política. Mas não, não vou ousar, no futuro, propor-lhes um "pairing" eleitoral.

Sem comentários:

Carlos Antunes

Há uns anos, escrevi por aqui mais ou menos isto: "Guardo (...) um almoço magnífico com o Carlos Antunes, organizado pelo António Dias,...