quinta-feira, 1 de março de 2018

Teresa Salgado



De Teresa Salgado não encontro nenhuma fotografia no Google. Tenho assim pena de não poder deixar aqui a imagem do seu belo e elegante sorriso. Soube pelo Lusojornal que morreu, há uma semana, em Paris, e que vai hoje para o Père Lachaise (onde está esta simbólica estátua).

Foi uma mulher que dedicou a sua vida à promoção da língua e da cultura portuguesa, em França. Trabalhou no Centro Gulbenkian em Paris desde 1967, vindo a ser diretora da respetiva biblioteca - a mais completa existente no estrangeiro, depois da do Real Gabinete, no Rio de Janeiro. Dirigiu cursos de português, dedicando-se à Association Culturelle pour les Études Portugaises.

Maria Teresa Salgado era transmontana, de Duas Igrejas, onde nasceu em 1945. Durante os anos que passei em Paris, era uma presença constante nas iniciativas da embaixada, com a qual colaborou ao longo dos anos, sempre num registo de grande simpatia e educação que era o seu.

Deixo-lhe uma sentida homenagem.

4 comentários:

Anónimo disse...

Maria Teresa Salgado foi uma colega leal, fiel, amiga, elegante e de uma extrema competência. É uma perda muito grande para mim, para a Fundação Calouste Gulbenkian e para a Cultura portuguesa. Vou daqui a pouco apanhar o avião para Paris, a fim de lhe prestar a homenagem que merece.

JPGarcia

Joaquim de Freitas disse...

Homenagem merecida à qual me associo. Encontrei-a por acaso. Senti-me orgulhoso de ser seu compatriota. Que repouse em paz.

Gil António disse...

Bom dia. Mesmo desconhecendo, associo-me à homenagem. O mundo precisa de grandes homens e de grandes mulheres que lutem por algo de bom.
.
* Soneto escrito no escuro ... em versos de luz sombria *
.
Deixo um abraço amigo

Graça Sampaio disse...

Pessoas tão importantes, tão completas, de grande valor e que passam completamente despercebidas. Uma pena. Muito injusto. Lamento também pela sua morte.