quinta-feira, 1 de março de 2018

Rios


“Há lá coisa mais bonita do que o marulhar deste rio!”, dizia-me o meu pai, enlevado com o mexer das ondas e eternamente convencido de que absorver a maresia que elas traziam era um eficaz antídoto contra os males invernais. 

Isto era dito lá por Viana do Castelo, em dias de clima zangado, com o rio Lima quase a atrever-se a chegar ao Hotel Aliança. 

Mas é claro que há coisas mais bonitas! 

Esta fotografia é de há pouco, de outro marulhar de ondas, à beira Tejo, um rio que ali se autoqualifica de mar, embora, ironicamente, “da palha”.

1 comentário:

Os olhares da Gracinha! disse...

Até a água revolta tem a sua beleza!