segunda-feira, 5 de março de 2018

Os nossos Óscares


Não foi há muitos anos, mas já lá vai muito tempo, “if you know what I mean”. No bar Procópio, essa ímpar instituição lisboeta de copos, conversas & companhias, um seleto júri decidia anualmente a atribuição de uma mão cheia de “Procópios”, oferecidos a figuras que se destacavam no teatro, no cinema, no jornalismo, na literatura, na televisão, etc. E até na política. Havia uma festa, sem passadeira vermelha, onde eram entregues esses prémios. Eram belos, esses dias! 

“Sedona” Alice Pinto Coelho: agora que o turismo sopra o seu vento de cifrões, fazendo andar o barco na boa direção, não seria de se arranjar um “sponsor” (eu trato disso!) para se voltarem a fabricar as estatuetas da autoria do nosso genial António Antunes? Back to business? 

2 comentários:

Portugalredecouvertes disse...


é simpático :)

Anónimo disse...

Subscrevo inteiramente, até porque é altura de fazermos o luto pelos nossos compinchas da mesa 2, já desaparecidos.
Beijos
São Jordão