sexta-feira, 9 de março de 2018

O título e o texto


11 comentários:

Anónimo disse...

O PR está a pedir o impossível.
Governo e oposição fortes seríam possíveis com partidos com representação eleitoral forte, clara, indiscutível, o que não é o caso.

O Governo subsiste em concubinato com os seus adversários eleitorais !.
A oposição demove o seu representante de facto eleito, o titular, o vencedor das últimas eleições e ensaia qualquer coisa nunca sufragada em eleições.

Politicamente forte, em Portugal, é a abstenção. E só não é mais forte, sabemos porquê.JS

Francisco de Sousa Rodrigues disse...

Quantas vezes ouvi teorias de que o PS poderia ganhar as eleições, mas não ser governo, porque o PPD e o CDS poderiam oferecer uma solução governativa mais sólida, nomeadamente uma maioria.
O que a nossa direita nunca pensou foi que a coisa poderia sair ao contrário, por isso insistem na patetice da vitória nas eleições.

Anónimo disse...

ganhar eleições é ter os votos suficientes para governar de acordo com o proposto. Ou há votos de primeira e de segunda? No tempo do Humberto Delgado, vi muitos votos serem entregues de mão-a-mão, que naquele tempo levava-se casa o votinho...

Anónimo disse...

As brechas são essenciais para deixar passar a luz.

Anónimo disse...

@Anónimo 9 de março de 2018 às 18:40

Adoro os choradinhos dos revisionistas negadores da realidade.

Nessas eleições os cidadaos vao votar no partido (nao no lider) que podera formar uma coligaçao pos-eleitoral com outro partido, tal como aconteceu no governo psd-ppd cds-pp em 2002 com furao burroso e as portas. Mas nessa epoca aposto que festejou enquanto agora critica esse tipo de formacao de governo.

Mas dos seguidores do querido lider profeta de massama nao e de esperar outra coisa alem de choradinhos falsos (seguem os passos de coelho do seu querido lider conhecido por Pedro cognome o mentiroso)

Anónimo disse...

Interessante.... chegam de mansinho, uma bicada aqui outra acolá preparando o terreno para que seja completado o "sonho da república correcta" cujo "NovoDeus" os iluminará.

São sempre os mesmos ao longo dos séculos.

Lenine, Marx, Estaline, Hitler,os novos defensores das minorias: extremistas religiosos, vários géneros de acasalamento contra-natura, etc, etc...

Vão todos "dar banho ao cão", como se diz na minha terra !

dor em baixa disse...

Uma área de governo A muito forte e uma área de oposição Á muito forte que não permita que na área A algo do exterior possa penetrar. O "arco da governação" não desfila agora na avenida, por espetáculo vil e indecoroso e porque a memória ainda está fresca, mas o "bloco central" está a ser invocado com frequência, umas vezes como acordos de regime, outras como decisões sobre os investimentos públicos estruturantes.

PSICANALISTA disse...

.
O secretismo dos egos.... !!!

Reaça disse...

É bom que surja uma oposição a sério, parece que já se volta a falar em TVGs, esses cancros corrosivos de qualquer economia minúscula como a nossa, tal como certas autoestradas, onde uma estrada normal feita com regra, chegava e sobrava.

Fazer não custa, custa é manter.

Veja-se pelo que é manter uma Ponte Salazar, que o pessoal julga que é só construir, o que se vai passar com a manutenção de centenas de enormes viadutos feitos nestes últimos 30 anos.

Claro que para certas esquerdas isto não diz nada, e para certas direitas, quanto mais caro, melhor.

Anónimo disse...

@Reaça

"Fazer não custa, custa é manter"
Então não custa fazer? Aparece magicamente de borla?


"Veja-se pelo que é manter uma Ponte Salazar, que o pessoal julga que é só construir, o que se vai passar com a manutenção de centenas de enormes viadutos feitos nestes últimos 30 anos"
Olhe que o homem era muito poupado e se deu indicação para que fosse construida e porque viu que haveria vantagens para alem dos custos.
Não me diga que o melhor seria nao fazer nada para não haver custos de construção e manutenção e voltarmos todos a idade da pedra.

"Claro que para certas esquerdas isto não diz nada, e para certas direitas, quanto mais caro, melhor."
Totalmente de acordo

Agora o que ninguem me diz e tambem nao se fala, alias e um ponto que esta a passar ao lado do debate é :
Para onde esta a ir o dinheiro das portagens que deveria ser para os custos de manutenção?
Ou sera que a lusoponte serve so para arrecadar o dinheiro das portagens mais compensacoes e os custos vao todos para o contribuinte?
Porque nao e aplicada a justiça a quem faz estas estas vigarices?
Qual sera o objectivo oculto de toda esta algazarra agora armada?

Reaça disse...

Ó anónimo das 13:34, se a ponte Salazar foi construída, foi muito pensadinha.

Não é mergulhar de cabeça nas mãos de banqueiros internacionais, empreiteiros espanhois, brasileiros e outros que disfarçadamente são donos das grandes empresas que eram portuguesas, (Somague, Bento Pedroso, Ramalho Rosa, Soares da Costa...etc.), como aconteceu estes 30 anos, que não têm vergonha em fazer qualquer tipo de cambão.

As portagens de algumas auto-estradas não chegam para pagar aos «proprietários» estrangeiros dessas obras.

Algumas dessas obras, chegava e sobrava uma simples estrada feita com peso conta e medida.

Agora o Rajoi espanhol já está a afiar o dente para a construção (necessária para eles, não para nós) do TGV Sines-Badajoz.

Ali, nem o ferro nem cimento nem o balastro vai ser produção nacional, como já aconteceu com a maior parte dos materiais usados nas auto-estradas e na EXPO.

Só nos faltam asinhas.