terça-feira, 27 de março de 2018

Diplomatas & Russos


Não tenho tempo para escrever muito. Só dá para estes “5 pontos”, como o Amadeu Lopes Sabino fazia na sua saudosa coluna no “Diário de Lisboa” (quem se lembra?):

1. O governo português esteve muito bem ao não fazer parte do grupo de países que anunciou ir expulsar diplomatas russos. Portugal teve atitude idêntica a 10 países da NATO e 13 da UE. As expulsões de diplomatas que estão no exercício de funções bilaterais fazem-se nos contextos bilaterais próprios, tanto mais que não se gerou uma posição conjugada no âmbito da UE, como a que, no passado e noutro contexto, levou à fixação de sanções comuns contra a Rússia.

2. Dito isto, é evidente que o regime de Putin não merece o menor benefício da dúvida, no tocante à plausibilidade de ter mandado cometer o crime. O modo como na Rússia são liquidados ou intimidados os adversários de Putin, naquele sistema que hoje é já um “genérico” de democracia, legitima fundadas suspeitas.

3. Acho patético como alguma esquerda lusitana (parte da qual nem sequer foi, no passado, pró-soviética) assume hoje a Rússia - autoritária, desrespeitadora do Direito Internacional, com escasso apreço pelas minorias e pelos Direitos Humanos - como o seu “campeão” na ordem internacional, apenas movida por um anti-americanismo primário. Tudo à Rússia é perdoado, Putin tem sempre “razão” - na Síria, na Geórgia, na Ucrânia.

4. Ora a Rússia, as vezes, tem de facto razão, como o teve na inaceitável provocação ocidental que levou à desestabilização da Ucrânia, como o tem quando reage às provocações insensatas da NATO nas suas fronteiras.

5. Pena é que essa razão seja titulada por uma figura política que faz da arrogância (também há por cá quem goste do estilo) e da jactância jingoísta a sua imagem de marca. Pode não se gostar de Trump sem ter de se gostar (mais) de Putin.

(Já adivinho os adeptos dos pontos 1 e 4 a não gostarem dos pontos 2, 3 e 5 - e vice-versa. Este é um triste mundo a-preto-e-branco, o das redes sociais, onde o iraniano Maniqueu é rei e senhor)

17 comentários:

Anónimo disse...

De acordo com todos os pontos. So acrescentaria que tenho impressao que grande parte dos adeptod da russia de hoje o sao mais por culpa do ocidente, do que por culpa russa. Sem duvida putin tera um regime com demasiados defeitos para querer ser modelo de quem quer que seja. No entanto, o nivel de corrupçao moral e intelectual de parte dos lideres do ocidente tem sido inacéitavel. Para bandido as pessoas soem preferir os originais. Porquê gostar de sarkozy uando se tem putin? (atentar ao que disse o primeiro, recentemente, nos uae sobre lideres, etc. uma verdadeira ofensa à democracia). Porquê gostar da democratica américa, mas que a todos bombeia, e a todos explora, quando se tem uma russia "que joga do lado dos mai fracos"? porquê gostar de uma europa, que afinal é injusta, defendendo seja os paises ricos contra os pobres, seja uma invasao de imigrantes contra nos, e que além do mais é liderada por tipo sordido como junker. Putin é pelo menos o lider que pretende ser. E forte, afirmativo e é verdadeiro, defende os seus interesses e não se acanha para isso. Quem no ocidente faz parecido? aquela coisa que esta na casa branca?

Joaquim de Freitas disse...

DEMOCRACIA ? Não existe, e nunca existiu. Mesmo na Grécia, onde foi inventada, a sociedade já funcionava à base de trabalho escravo, e somente os atenienses homens podiam interferir nos assuntos que decidiam o futuro de todos os habitantes da região.


O quanto a democracia (governo do povo, pelo povo, para o povo) existe e é efectiva, é função directa da qualidade do povo. Quanto maior é a consciência popular, melhores serão os governantes pois que serão julgados, no presente e no futuro, sobre os seus resultados.

Mas, no limite das ideias e do conceito, democracia não existe, pois não há como colocar no Poder alguém que represente o mais possível os desejos dos eleitores que dirá a vontade colectiva agrupada.

Eltsine teve o poder supremo na Rússia

Representava os desejos da maioria do povo russo, quando “saldava” a preço vil a economia russa aos oligarcas ligados ao capitalismo ocidental, que os financiavam?

Representava a imagem que se faz a maioria do povo russo do seu país, quando se apresentava embriagado ao lado de Clinton, perante o mundo inteiro?

Mas era apreciado pelo Ocidente, como o foi Gorbatchev, por razões sobejamente conhecidas:- Assinou com Reagan um tratado que permitiu aos EUA trazer a NATO até às portas da Rússia. Foi bom para a Paz mundial deixar criar este “frente a frente das duas maiores potências nucleares?

Putine agiu precisamente no sentido contrário.

A maioria que obteve nas eleições demonstra que o povo russo aspirava a obter para o seu país o lugar que lhe pertence no mundo. E o direito de criar todas as condições para proteger o seu país dos inimigos potenciais que são numerosos no Ocidente. O passado atesta-o. A Rússia nunca invadiu ninguém, mas desde Napoleão que conheceu a destruição total levada pelo Ocidente.

O homem não é simpático? Tem o sorriso difícil? Sabe o que pode aceitar e o que deve recusar?

Ainda bem. Façamos a comparação com o seu inimigo, Donald Trump, que sabe sorrir e sabe recusar tudo o que não convém ao seu país, e impõe os seus desejos pela força militar, a corrupção, os golpes de Estado, a pressão económica, mesmo os seus aliados, que espiona de maneira vergonhosa, sem excepção.

Os direitos humanos? Em Guantanamo? No seu próprio país, para os Negros e as minorias latino americanas?

O Direito Internacional? No Afeganistão, no Iraque, na Líbia, na Síria, no Iémen?

O Direito Internacional, quando o seu aliado Israel despreza 156 decisões da ONU, e que os EUA apoiam…com as Bahamas?

Ontem, Trump associou-se à pena da França pelo atentado que fez 4 motyos numa aldeia francesa.

Ontem o terrorismo incendiou um super mercado numa cidade da Sibéria; 64 mortos.
Trump não disse nada. Os mortos não são iguais perante o terrorismo, o mesmo.

O Ocidente não tem lições a dar ao Mundo no que concerne os Direitos Humanos.

Luís Lavoura disse...

o regime de Putin não merece o menor benefício da dúvida, no tocante à plausibilidade de ter mandado cometer o crime

Que é plausível que tenha mandado cometer o crime, é. Mas não basta plausibilidade para condenar seja quem fôr, para declarar a culpabilidade de seja quem fôr. É que, também é plausível que o crime tenha sido cometido por outrém que não o regime de Putin. Eu o que vejo é que o regime de Putin está a ser condenado e punido apenas com base na plausibilidade mas sem que se pretenda sequer apresentar quaisquer arremedos de provas. E acho isso totalmente inaceitável.

Joaquim de Freitas disse...

• Claro que aonde escrevo « decisões » da ONU, se deve ler « resoluções », e todas com respeito à tremenda injustiça que é feita ao povo palestiniano.

• Como escrevi algures, gostaria que me explicassem, no que diz respeito ao espião russo/britânico morto no RU:

• Este espião esteve preso na Rússia durante anos, por traição ao seu país. Porque é que os Russos deviam esperar que estivesse no RU em vez de o liquidar na Rússia mesmo?

• Porque é que deviam fazê-lo na véspera das eleições presidenciais? E neste caso, a quem beneficia o crime?

• Que esperava Theresa May que Putine, chefe duma potência nuclear, respondesse ao seu ultimato? Aquilo que lhe respondeu: apresente uma prova do que afirma.

Sabendo que o inventor russo do agente enervante foi para os EUA há vinte anos, e que publicou um livro sobre este produto onde está o segredo? Ninguém seria capaz de o fabricar fora da Rússia, para o utilizar algures?





Anónimo disse...

Eu, sendo não-politizado gostei do texto.
Não sei como vou ser interpretado mas como também sou anónimo.... não deve ser muito corajosa a minha opinião.

Joaquim de Freitas disse...

Senhor Luís Lavoura : Tudo isto corresponde a um plano bem definido, a alto nível, e vai ser preciso muito sangue frio aos europeus para suportar a campanha que arranca agora com este “polar” do espião.

Ler o “ The Guardian” é informativo:

Putin vai usar o Mundial do futebol como Hitler usou os Jogos Olímpicos de 1936, ou seja, para ocultar o regime brutal e corrupto do qual ele é responsável!!! Através desta declaração oficial do Ministro dos Negócios Estrangeiros britânico Boris Johnson mostra a que nível a campanha de propaganda contra a Rússia chegou.

Numa vinheta do “The Guardian”, copiado dum poster nazista da década de 1940, a Rússia é descrita como uma aranha gigantesca, com a cabeça de Putin, agarrando-se ao mundo.

A Rússia acusada de envenenamento de um -espião na Inglaterra, preso por espionagem 12 anos atrás e liberado há 8 anos (assim não mais na posse de informações confidenciais), que usa para envenená-lo assim como a sua filha, o agente Novichok , neurotóxico da produção Soviética (a fim de deixar voluntariamente a marca de Moscovo na cena do crime).

Vimos noutros tempos Colin Powell mostrar na ONU o frasquinho de AMD, e Blair avisar que Saddam as possuía, e que Londres podia ser destruída nalguns minutos…

A Rússia acusada de penetrar com habilidade excepcional nas redes de computadores, manipulando as eleições presidenciais nos Estados Unidos ("um acto de guerra", como definido por John Bolton, o novo conselheiro de segurança nacional). My God …

Agora oficialmente acusada pelo Departamento de Estado dos EUA, pela segurança interna e pelo FBI de se preparar para sabotar com as suas equipas de hackers, as centrais nucleares, locais de água e aeroportos nos Estados Unidos e Europa, a fim de paralisar países inteiros.

Assim se fabrica a imagem de um inimigo cada vez mais agressivo, do qual nos devemos defender. Como noutros tempos o Iraque.

Numa conferência de imprensa com Johnson, o secretário-geral da OTAN Stoltenberg acusa a Rússia de" primeira utilização dum agente nervoso no território da Aliança", isto é, um verdadeiro acto de guerra; de "minar as nossas instituições democráticas", isto é, conduzir uma acção subversiva dentro das democracias ocidentais; "violar a integridade territorial da Ucrânia , isto é, de ter começado a invasão da Europa.

Face a este comportamento, anuncia o bravo Stoltenberg, “a NATO prepara a resposta”. Bigre !

Claro que é assim que se prepara a opinião ao reforço da máquina de guerra da NATO sob comando dos EUA, com as novas bombas nucleares B61-12, e novos mísseis, inventando o cenário duma agressão russa.

Este Johnson, que compara Putin a Hitler deve não esquecer como este acabou quando entrou na Rússia.

Anónimo disse...

O que é grave é quase se achar plausivel que o regime russo, tenha hipotese académica de poder ter cometido este crime em território estrangeiro, contra alguém que se encontrava sob protecção desse país. [Será porque entendem que é um crime terrorista].
Um regime normal nunca o faria.
O resto é areia contra os olhos dos passantes.

Anónimo disse...

Todos os pontos são aceitáveis.

jj.amarante disse...

Caro embaixador, felicito-o pela sua escolha sempre tão criteriosa das imagens que acompanham os seus textos. Esta imagem cujo ficheiro tem o apropriadissimo nome "Red square" lembrou-me os tempos em que se dizia que "o vento é de de leste e o horizonte é vermelho!".
Acho os seus pontos muito razoáveis, à excepção da frase aparentemente inócua "naquele regime que hoje é já um “genérico” de democracia". O combate ideológico faz-se também através dos termos que se usa e usar o qualificativo "genérico" para designar uma democracia de má qualidade é uma cedência quanto a mim muito censurável à propaganda contra os medicamentos genéricos, cuja qualidade não é inferior aos produtos de marca.
Não sou especialista na matéria mas tenho confiança nas instituições nacionais que verificam a qualidade dos medicamentos, quer genéricos quer de marca.

Anónimo disse...

Portugal não está a fazer um favor à Rússia.
Está, isso sim, a pagar um favor que a Rússia lhe fez. E do mesmo passo a comprar outro de
que vai precisar. Em breve.

Naturalmente isso terá sido explicado às autoridades britânicas. A elas, não aos jornalistas. Para estes virá uma explicação como a vertida em 1.

O governo de TMay também está a recolher o apoio de que precisa para, se optar por fazer um novo referendo sobre o Brexit, lá mais para a frente, poder exibir a enorme solidariedade dos europeus, "nossos aliados".

Sustentando assim a manutenção do imaginário "europeu" para lá das amarras que se desatam à medida que o processo negocial avança.

Anónimo disse...

Curiosamente, ninguém expulsou diplomatas, ou teve outras atitudes retaliatórias contra os EUA, RU aquando das mentiras propgandísticas deliberadas justificar a invasão do Iraque, por causa das tais inventadas armas químicas. Fez muito bem o nosso MNE ao tomar a posição que tomou - o que não significa de todo estar ref+em deo BE e PCP, só mesmo um lunático de extrema-direita acreditaria nisso. Tivessemos um governo de extrema-direita (PSD/CDS) e a coisa teria sido outra. De joelhos perante os EUA e Londres. Como essas figuras flibusteiras da Direita/PSD, o Paulo Rangel e o inefável António Martins da Cruz (ora quem!).

Joaquim de Freitas disse...

Acho muita piada a este comentário do anónimo de 27 de Março de 2018 às 15:05;

“hipotese académica de poder ter cometido este crime em território estrangeiro, contra alguém que se encontrava sob protecção desse país. [Será porque entendem que é um crime terrorista].
Um regime normal nunca o faria.”

Sabe o anónimo quantos cidadãos de países estrangeiros, de países invadidos pelo Império, transitaram por Portugal, em vioes americanos, para serem encarcerados na Polónia e serem torturados, porque isso não é possível no território americano, excepto em Guantanamo, que não é americano mas é como?
Sabe quantos milhares de pessoas foram assassinadas pelos drones americanos em países estrangeiros ? E pelos serviços israelitas?

Joaquim de Freitas disse...

Ouso esperar que a « democracia » de origem, não genérica, não é a dos EUA, quando nesse país se assassinam todos os dias Negros, porque são “Negros”, e se perseguem as minorias Latino americanas e outras, porque não são WASP.

E se devem contar os votos na Florida várias vezes para saber quem de Al Gore ou Bush foi realmente eleito…

A não ser que sejam os regimes aliados da NATO , como a Turquia, ou outros mais longínquos como a Arábia Saudita, e o Catar, ou Israel, que merecem o nome de “democracias”

Quando se assassinam populações inteiras como neste momento no Iémen ninguém retira ou expulsa embaixadores…dos países criminosos…

Reaça disse...

A Euro0pa já não conta.

Portugal faz bem em isolar-se, não ir atras.

Aliás, orgulhosamente sós como eu gosto...em muitos casos e neste também.

Unknown disse...

Senhor Freitas
Deve ter havido esquecimento
Na minha geracao a russia invadiu a Polonia, checolovaquia etc et...
Creio ser apropriado dizer a moda de s.Miguel"pois e leva"(falta um acento agudo no A ou meu PC nao os tem)
cmpts do
Liberal Correia

Anónimo disse...

Tal era a urgencia em escrever acerca deste tema que la arranjou um bocadinho para escrever.
Pois eu fico com a sensação que sera antes ...vamos la tocar no assunto mas nao muito.

Adiante.

1 - A habilidade Portuguesa de nao se atravessar muito. Parece-me bem. Salazar fez o mesmo e la escapamos da 2 guerra.

2 - "... o regime de Putin ... "
Assim ate lhe da uma conotação totalitaria. É essa a intenção?
Lembre-se... houve eleições na Russia no passado Domingo com o resultado:

Vladimir Putin 75,39%
Pavel Grudinin 13,09% (Candidato do Partido Comunista Russo)
Vladimir Zhirinovsky 6,24% (líder ultranacionalista do Partido Liberal Democrático)
Senia Sobchak 1,43% (A loirinha toda gira)
Os outros nem vale a pena falar deles pq nem a 1% chegaram.
Nenhum desses que dizem que foram liquidados ou intimidados chegam perto de Vladimir Zhirinovsky ou Pavel Grudinin.
Por aqui estamos conversados

3 - "... desrespeitadora do Direito Internacional, com escasso apreço pelas minorias e pelos Direitos Humanos..."
Pode enumerar alguns?
- É que ca pela europa tal como nos eua tambem temos muito disso de desrespeitar do Direito Internacional Libia, Siria, Iraque, Sudao isto so falando nos tempos mais recentes.
- Minorias refere-se aos homosexuais ? Pois e que a lei que foi introduzida na Russia acerca desse tema era contra a propaganda homosexual a crianças.
Acha que nao deveria existir essa restriçaõ? Pois bem comece pelo UK que tem uma quase igualzinha.
Ou seria em ca deixar entrar tudo o que venha doutro pais?

4 - Pense melhor. Acho que se enganou, so pode ter-se enganado.

5 - Aqui os Russos perderam a razao. Ate tinham razao mas deixaram de ter (adoro esta logica muito Portuguesa tinha razao mas perdeu) quando nao optaram pelos candidatos predilectos da ue e eua que nem 1% alcaancaram.

Alguem com pleno juizo na cabeça acredita nesta palhaçada armada pelos Ingleses ?
Entao os todo poderosos Russos que conseguiram influenciar os resultados da mais poderosa democracia do planeta iludindo a vigilancia total de 15 agencias de inteligencia e espionagem com os meios mais sofisticados do mundo sao estupidos ao ponto de ir tentar assassinar
e falhar (porque o homem ainda esta vivo) alguem que tiveram preso e depois libertaram ainda por cima com algo que os levaria directamente a eles?
Agarravam simplesmente num carro e atropelavam-no.. Dahhhhhhhh

Ja agora os termos cuidadosamente arquitetados da acusação inicial de Theresa May:
"...um tipo de veneno de efeito neurológico, de nível militar, ou de um tipo desenvolvido pela Rússia..."
- um tipo de veneno de efeito neurológico, de nível militar (sim podem ser muitos)
- ou de um tipo desenvolvido pela Rússia (podem ser mais ainda)

Declaracao tao vaga que contrasta com a precisao de determinar logo que veneno foi, onde foi fabricado e quem o utilizou isto em 24h.

Se o Reino Unido realmente tem ou teve tal informação, por que não fez o que os protocolos da CWC determinam (informar à OPCW de que havia motivos para desconfiar de que a Rússia estivesse infringindo os termos do compromisso assinado)?

Ja agora, tanta algazarra, tanto barulho e com direito a expulsão de diplomatas Russos por tantos paises por causa de um caso sem provas concretas, sem investigacoes sequer é algo totalmente desporporcionado.

Mas isto sem duvida e optimo para desviar a atenção e tentar mudar o rumo do Brexit que se esta a revelar um autentico fiasco e humilhaçao para o Uk.

Anónimo disse...

Ah, ia esquecendo: como sabemos, o atentado contra o ex-espião Skripal foi perpetrado em Salisbury no passado dia 8 de Março. E não é que no dia 6 tinha iniciado na Inglaterra a maior simulação desde o final da Segunda Guerra Mundial com gás nervoso? Sim, mas a Inglaterra é grande: tinha iniciado onde? Agora tentem não rir: foi em Salisbury. Estamos entendido? Acho que sim.