terça-feira, 13 de março de 2018

O papel do DN

Por razões que não vêm à liça, não vou aqui falar, como me apetecia, do papel que o “Diário de Notícias” representa, nos dias de hoje, no panorama mediático português.

Mas, como habitual ”consumidor” (pode dizer-se isto?) do jornal, acho que tenho o direito a perguntar: o papel em que o DN anda a ser impresso, nos dias que correm, é o quê? 

A gente pega naquilo, naquelas folhas já a caminhar para o leve cinza, com a consistência dos apertos de mão sebosos e sem garra, e pergunta-se: não há um papel decente onde imprimir o “diário da Moagem” (como lhe chamava Artur Portela Filho)? Não estou a pedir folhas de gramagem quase “almaço”, daquelas em que o fascistóide “A Rua” era impresso nos anos ”da brasa”, mas um papel consistente, que adira ao tato, em que o mudar a folha não nos dê a ideia de estar a enrolar um charro.

Eu sei que o “Le Monde” hebdomadário também nos chega naquele género desvirilizado de folhas, uma versão mixuruca e subdesenvolvida de papel bíblia, mas isso é para poder ser enviado pelo correio, um sistema de distribuição que, como alguns se recordarão, foi também utilizado em Portugal - quando por cá havia Correios! E ninguém hoje confia nos “nossos” Correios, nem para cartões de boas-festas, quanto mais para enviar o DN do dia! 

E o DN não é o “Le Monde”! Mudem-me esse papel, antes que todos nos tenhamos que perguntar qual é, afinal, o papel do DN na imprensa que aí anda.

4 comentários:

Anónimo disse...

Quando pensarem em mudar o papel é mesmo para acabar com ele e passar apenas para a versão digital. As novas gerações, digamos até aos 40, já não pegam num jornal, quanto mais em papel.
A versão actual é apenas a versão para se ir mantendo vivo neste formato com o mínimo de custos possível.

Anónimo disse...

Não fazia ideia que o embaixador tinha ideia do que é enrolar um charro... olhe que divertido!

Anónimo disse...

O "papel" é do tipo e-fatura tão em voga....

Anónimo disse...

Quero lá saber do papel! A mim interessa-me é, por exemplo, a campanha espanholista montada a propósito da Catalunha. Na realidade, quanto mais fino for o papel em que o DN é impresso, mais útil ele pode ser no dia a dia...