sábado, 2 de maio de 2020

Saúde


Grande entrevista de Marta Temido à SIC, perante um Rodrigo Guedes de Carvalho que tentou ser muito incisivo mas, visivelmente, não estava à espera de uma entrevistada tão bem preparada.

Quem tiver dúvidas, pode ver aqui.

16 comentários:

Anónimo disse...

Ilustre embaixador! Até admito mas, não consigo apreciar os tiques de arrogância da senhora, não sei parece que debita textos decorados, sem demonstrar um pingo de sensibilidade nem humanidade pelos que mais sofrem nestes tempos tão difíceis. Parece um robot. Pronto tenho dito e quem diz a “sua” verdade não merece castigo!

Anónimo disse...

O pivot da SIC (TV do fundador do PSD) foi de uma agressividade e grosseria nunca vista, mas que se virou contra ele pela categoria da ministra.

outeiro

Anónimo disse...

Anónimo das 00.49

Tem razão faltou-lhe uma selfie e uma beijoquice à la celinho!
Pronto "quem diz a 'sua verdade' não merece castigo".

outeiro

Anónimo disse...

O entrevistador não só não fez o seu trabalho de procurar esclarecimento como se revelou um mete nojo faccioso a tentar forçar respostas. Este Rodrigo Guedes de Carvalho que tão emocionado se faz passar com a actual situação afinal não passa de um impostor

António disse...

Arrogância só a vi no entrevistador, que tentou fazer um verdadeiro interrogatório de acusação e não uma entrevista. Só mudou de tom quando a ministra lhe respondeu que estava a lutar pelo interesse público e via alguns sectores muito empenhados em lançar a confusão no espírito dos portugueses. O entrevistador até teve então uma leve reacção facial acusando o toque. Aquilo que a alguns parece ser arrogância na ministra - a mim também durante algum tempo - é antes a paixão de quem acredita profundamente no que tem de fazer e se preparou bem para isso. Mais uma vez a direita - tal como com Centeno - foi apanhada de surpresa com a qualidade da ministra, e agora dedica-se a tentativas ridículas de a encalacrar.

aamgvieira disse...

Uma das melhores tiradas de Marta Temido estava reservada para Jerónimo de Sousa, de 73 anos: “A idade é um critério de risco por si só, mas não é um critério absoluto".

Há apenas 15 dias, a ministra admitia isolar os idosos até ao fim do ano...

Anónimo disse...

Esta Senhora, tanto bailou com as palavras, aliás é sempre assim a sua maneira de falar, que deu entender que não é importante o uso de máscara! Foi o que ficou no ouvido dos portugueses que só apanham os ecos…
Não havia mal nenhum em dizer que realmente , primeiro, tinham medo que os populares saltassem encima das máscaras que haviam e não chegariam para os médicos e para todo o pessoal das frentes de batalha . Os serviços de saúde não poderiam adivinhar que o vírus ia aparecer assim de repente.

Anónimo disse...

Tal como refere aamgvieira, e muito bem, a ministra teve mais um dos seus momentos deprimentes afirmando constantemente uma coisa e o seu contrário! Quando alguém que ocupa este cargo não sabe como se posicionar, está tudo percebido, ou seja vale tudo, pois só utiliza máscara quem lhe apetecer e quando lhe apetecer..., enfim é o que temos. Lamento!

Mal por Mal disse...

Esta ministra não se comove como se comoveu a do Interior quando se deram os incêndios.

Encarou de frente, mas aqui, o 1º ministro não a deixou ao abandono nem tirou férias, como da outra vez.

Anónimo disse...

Numa altura destas o papel dos jornalistas é questionar, ainda que seja incômodo e a senhora levanta a voz quando não lhe agrada? , por favor “à mulher de César não lhe basta parecer” e é isto! A senhora ministra se não queria dar a entrevista não a dava e fazia um monólogo para não ser questionada! Bem, de qualquer forma os portugueses ficaram a saber que a ministra da saúde não sabe se é conveniente a utilização de máscaras ou não, ou talvez, ou quem sabe...o que dizer e o que pensar de tudo isto quando mais do que nunca são necessárias decisões consistentes para que o regresso paulatino à normalidade seja bem sucedido? e ficamos na mesma, ou seja sem sabermos exatamente como proceder. Entristece-me

Anónimo disse...

Na minha opinião a ministra tem tido uma boa postura nas suas conferências e entrevistas!
não precisamos de alguém que viesse para a TV com emoções e excessos de sensibilidade, o que só poderia aumentar o stress que todos sentimos, aliás sabemos como está a situação pelos noticiários ao longo do dia e cada um já sente pressão e compaixão sem que nos venham ensinar
Por outro lado, porque se destroem as flores dos produtores? e não se utiliza essa produção para a indústria nacional dos perfumes, dos aromatizantes, dos aromas, dos ambientadores, das flores secas, dos ornamentos, da cosmética, etc. Tantas utilizações que não se compreende que ainda se deixe estragar alguma coisa!
E também eu perguntaria se os extratores que se utilizam nas casas de banho, não poderiam ser instalados em outras divisórias ou outros estabelecimentos ou hospitais, para digamos eliminar os eventuais aerossóis que dizem poder ser infestados de vírus ?!

Anónimo disse...

Parece que não assistimos todos à mesma entrevista!
O entrevistador está numa missão há demasiado tempo, aconselho desconfinamento...
A ministra da saúde esteve bem. O que não perceberam? O que devemos, podemos, fazer a partir de segunda feira, pouco mudou.
Para os que podem continuar em casa, saír o menos possível. Uma volta ao quarteirão não obriga ao uso de máscara. Em locais fechados não vai ser permitido entrar desprotegido. Nos transportes públicos é impossível manter o distanciamento físico, uso obrigatório.
Se interrompermos a transmissão do vírus ele desaparece! Desde meados de março, que, uso máscara, em locais fechados, PARA MINHA PROTEÇÃO E DE TODOS. Máscaras feitas por mim, segui o exemplo dos orientais. É assim tão difícil entender?

O que espero dos membros do governo não são emoções, mas, competência.
O que espero dos restantes portugueses? Deixem de criticar e sigam as regras básicas
A partir de agora, pode melhorar ou piorar, depende de nós.

Anónimo disse...


Marta Temido esteve excelente. Foi destemedida perante um impostor que deveria entrar em confinamento a favor da saúde pública.

João Pedro

Anónimo disse...

Não vi a entrevista porque, confesso, não gosto do discurso da ministra ( que até acho querida) sobre o Covid, discurso que me parece muito ligeiro e " bem disposto". Não a quero a chorar mas falta-lhe um bocadinho de "gravitas" para um dossier tão pesado.

Anónimo disse...

O Jornalista, foi petulante, agressivo e só a queria entalar. Ela, foi uma Senhora, quando sentiu que era demais, respondeu-lhe à letra, que baixou logo, a garimpa, e deixou logo de crer brilhar. Ele, fez confusão e convenceu-se que ela era ministro da Administração interna. Já agora, ficámos a saber, porque ela o disse, que houve alguns hospitais do privada (de que a direita tanto gosta) que denunciaram o contrato com o SNS. Numa altura desta, revelam, falta de sensibilidade e mau perder.Continuo a gostar dela.Tem pinta, apesar das muitas más línguas, que por aí abundam.

joana gaivota disse...

O Rodrigo que eu admiro imenso, e que não tenho dúvidas ser o melhor apresentador de noticias de Portugal (cumprimento para Ana Lourenço, que me reconcilia com o jornalismo), não esteve claramente nos melhores dias. Acontece Rodrigo. Vestiu um casaco que servia ao José Rodrigues dos Santos,quis ser incisivo e resvalou para alguma provocacação. isso não invalida o seu valor nem o grata que lhe estou, pela " Casa Quieta" pelos "Jogos de Raiva" e pelos seus livros que ainda vou ler.
A ministra que não conheço é a mulher que tem no meio desta tormenta das tormentas o leme na mão 24 sobre 24 horas. é sobre ela que pesam as decisões , e estamos carregados de inumeráveis "especialistas", que todos traçando diagnosticos, nenhum aponta terapeuticas
Devemos-lhe um agradecimento sem tamanho.
Joana gouveia