sexta-feira, 22 de maio de 2020

Quem tem capa...

Parece que passou a ser moda, nas redes sociais, inventar-se imagens falsas, dando-lhes uma aparência de plausibilidade. Esta semana acontece com a capa da Visão.

Há poucos dias, um outro vigarista gráfico alterou o rodapé de uma imagem televisiva, colocando um palavrão onde estava outra palavra. Foi um festim de difusão de algo que nunca tinha sucedido e que, a acontecer, poria em causa o rigor profissional dos responsáveis pela legendagem daquela estação.

Posso estar enganado, mas tudo isso tem muito a ver com um certo tipo de humor profissional alarve que por aí anda, que joga com as fronteiras da verdade e, claro, com a ignorância de muitos. E como parece que vivemos no reino da inimputabilidade e do vale tudo...

Nas redes sociais, há sempre gente para acreditar em tudo, e a regra é: “toca a fazer rapidamente ‘partilhas’ dessas vigarices, para mostrar como sou engraçado”. Em lugar de pôr de quarentena quem promove essas imbecilidades, a “cultura” deste mundo de graçola primária leva à difusão imediata daquilo que surge como insólito. Depois, se não for verdade, pronto!, não tem importância, olha!, afinal era falso...

Com a divulgação intensiva dessas imbecilidades, cada dia se abandalha mais a comunicação entre as pessoas, que este tipo de espaços de comunicação poderia proporcionar.

4 comentários:

Anónimo disse...

E novidades, há? O que foi a política - sempre -, senão um mundo de diz que disse onde, quando se prova que, afinal, não se disse o que foi dito, tudo fica igual?

Já viu algum jornalista ou comentador pedir desculpas por disparates ditos relativamente a, por exemplo, um titular de um cargo público?

Luís Lavoura disse...

Hoje em dia é fácil, não somente falsificar fotografias, mas até filmar pessoas a fazer discursos falsos. O mundo está a ficar muito perigoso.

Dulce Oliveira disse...

Estamos cercados por criaturas engraçadinhas que dizem alarvidades e palavrões com sotaques esquisitos e caras de parvos
Por mim, passo...

Anónimo disse...

Aquela que envolveu a conferência de imprensa da DGS e do S.E da Saúde foi miserável!
Também recebi. Mas, quem não recebeu?
Quanto à SIC que eu saiba nada veio a dizer para informar ser uma patranha lamentável.