quarta-feira, 6 de maio de 2020

A grande trivela de Quaresma


11 comentários:

Francisco de Sousa Rodrigues disse...

Grande mesmo! E a reação do dito cujo destinatário não podia ter sido mais patética.

Anónimo disse...

É uma trivela rota, feita de pseudo-humanis básico e primário. Mas aqueles que ficam calados com várias invasóes de quartéis de bombeiros ou organização de casamentos de três dias envolvendo centenas de pessoas, esses, devem gostar, como se vê.

Já deu para a campanha do Salvador Sobral? Parece que, agora, há uma espécie protegida que precisa de cuidados especiais de saúde...

" R y k @ r d o " disse...

São os novos tempos
.
Cumprimentos
Cuide-se

João Cabral disse...

Uma palavrinha de repúdio por crimes comprovadamente praticados e para com as vítimas? Nada. E em nada ajuda os ciganos esse tipo de declarações. Quando há homossexuais agredidos por ciganos na rua, curiosamente não há declarações de nenhum tipo.

Anónimo disse...

Exatamente, João Cabral.

João Cabral disse...

Adenda: vamos fingir que isto nunca aconteceu?

«Ricardo Quaresma foi detido cerca das 15h25 à porta do Campus de Justiça, em Lisboa. O jogador do Besiktas agrediu um agente da PSP quando soube que a mãe tinha sido roubada, também à porta do tribunal, por uma mulher de etnia cigana que lhe roubou um relógio de pulso.
Vários familiares tentaram apanhar a assaltante. Ricardo Quaresma estava na sala de audiências e quando soube do assalto à progenitora, que foi agredida a murro, o jogador correu para a rua à procura da assaltante, tirando o casaco e a gravata.
Queria perseguir a mulher, e quando um agente da PSP interveio, Quaresma reagiu e agrediu o agente. Foi algemado e levado para a esquadra.»
https://www.cmjornal.pt/portugal/detalhe/ricardo-quaresma-detido-a-porta-do-campus-de-justica

Anónimo disse...

É curioso ver que ninguém se indigna com a campanha do Salvador Sobral para comprar "kits higiénicos" para "as comunidades ciganas". Aparentemente, há por aí organizações (de gente boa!!!) que acham que há um problema com esse pessoal.

Por outro lado, há umas semanas, um ministro do Governo disse, na TV, que estava a ser feito um plano especial para a "raça nobre" (expressão minha), por causa do caso do bairro em Beja.

Ou seja, há um problema de saúde, há um problema de ordem pública (os diversos casamentos envolvendo centenas de pessoas, as fugas do bairro de Beja, etc.) - não pode é haver solução equivalente à de, por exemplo, Ovar.

Anónimo disse...

Gostava mesmo é que o Quaresma fosse roubado e violentado pelos ciganos cuja comunidade insiste em não se enquadrar com o resto da sociedade.

Francisco de Sousa Rodrigues disse...

Como se mascara a xenofobia de forma tão pueril, agora até vale dizer que os ciganos agridem homossexuais, só para provar como essa "raça" é malévola.
Falam como se não existem agressores de todas as nacionalidades, culturas ou estatutos socioeconómicos.

Valha-nos Melanie Klein e a clivagem!

alvaro silva disse...

Tem tido umas aulas de gramática e sintaxe de Língua Portuguesa na Turquia. Vale a pena

João Cabral disse...

"Raça malévola" são palavras que não foram usadas por ninguém nestes comentários. Honestidade, acima de tudo. É um facto que houve homossexuais agredidos por ciganos, mas ouviu-se algum discurso sobre isso? Não, simplesmente porque eram ciganos. Isto é ajudar o país, as minorias e os próprios ciganos? Não, não é. E já nem vou falar dos casamentos de menores, que é coisa que só acontece entre os ciganos. É a infeliz realidade. Discutir isto é ser xenófobo?