quarta-feira, 13 de maio de 2020

Centeno


Mário Centeno está a ser vítima da conjugação negativa de vários fatores, o principal dos quais é a falta de peso político próprio. Este é um tempo muito injusto para alguém que foi um excelente ministro das Finanças e a quem o PS muito deve.

18 comentários:

Mal por Mal disse...

Costa é um manholas especial!

arber disse...

E é espantosa a tendência assassina de certa esquerda (BE), que nunca mediu e continua a não medir as consequências das suas atitudes.
Em 2011 foi o que se viu...e sentiu nos quatro anos seguintes.
Desta vez, e mais uma vez, o BE atacou o Governo por causa do Novo Banco, e provocou a resposta do Primeiro-Ministro.
O Ministro das Finanças, em cuja explicação acredito, só fez o que era sua obrigação: autorizar a transferência que contratualmente era devida.
O PR, bem, depois da célebre chamada de Centeno a Belém, ia ele desperdiçar esta oportunidade de ouro para o atacar, comprometendo-lhe o futuro, e encravar o Governo? Depois de Costa lhe oferecer de mão-beijada o apoio para a reeleição?!

" R y k @ r d o " disse...

Neste momento é um alvo a abater no Governo

Cumprimentos

Anónimo disse...

Hoje na Sic o comentador de economia criou uma crise dramática de governo. Sozinho. É obra!
Fernando Neves

Anónimo disse...

O Ronaldo está a ser lixado pelo presidente e pelo treinador...
Está na altura de mudar de equipa.

Anónimo disse...

A grande vantagem é que se vão confirmar as verdades!
João Vieira

Anónimo disse...

Em tempo de união, não precisamos nada de polémicas
e de desunião!
É desumano, e gastam-se energias tão necessárias para fazer frente a tamanha calamidade
que nos atinge a todos! Assim precisamos de todos e de todos os governantes na linha
da frente. Que se calem a calúnias.
Haja juízo e bom senso!

Anónimo disse...

Centeno já se deveria ter demitido. Costa foi o último a saber, o que é inadmissível. Erro de comunicação, segundo disse Centeno.
Temos muitos economistas no nosso pais, senhores socialistas!

Sara Martins

Anónimo disse...

Mas onde é que eu já vi isto antes primeiro ministro e ministro das finanças em rota de colisão porque o país já estava governável...? Vai ser o caos se Mário Centeno abandona o governo...!

AV disse...

Lá dizia o comentador da SIC que a questão está ‘na auditoria’, porque realidade são várias as auditorias, e bem é esse o ponto central da transferência de fundos.
É, sim, um tempo injusto para Centeno.

Anónimo disse...



Centeno poderá dizer: è um exagero o anúncio da minha morte, sendo que o primeiro anúncio foi feito pelo PR. Fica, assim, desautorizado o PR.

Mas, está bem, num teatro em que alguns protagonistas são figurinhas …

João Pedro

Luís Lavoura disse...

Este é um tempo muito injusto para alguém que foi um excelente ministro das Finanças

Acha mesmo que é um tempo injusto para ele? Centeno está-se nas tintas para ser ministro das Finanças, cargo que até o deve entediar. No Banco de Portugal ele terá o mesmo poder e estará menos exposto, ficando mais satisfeito.

Anónimo disse...

Sr. Vieira. Aguente-se homem!. Sangue, só de cabidela.

Anónimo disse...

Temos um presidente da República que é um "tontinho" e ébrio de popularidade.

Um PM manhoso e astucioso que sabe como "funciona" a população menos esclarecida.

Uma oposição perdida no sistema, uma CS a "Voz do Dono" e um povo papalvo que na maioria não dá conta do que se passa.

Com este cenário, o que disse o PM sobre o dinheiro do NB, tem as mesmas consequências do que qualquer afirmação do Maduro...

José Figueiredo disse...

Senhor Embaixador,
Creio que Centeno ganhou nestes 5 anos peso político bastante. Até, também, pelo peso e prestígio que adquiriu internacionalmente. O que vemos é o PM e o PR à volta dele, tratando o assunto com pinças e os possíveis cuidados, para o homem não bater com a porta sem olhar para trás.
José Figueiredo

Anónimo disse...

Depois de limpa a casa pelos varredores de serviço, o governo ( com alguns que a tinham emporcalhado) voltou e, com um decorador excelente, fez "maravilhas". Veio, entretanto, uma tempestade que voltou a sujar a casa. Os varredores que a tinham limpo já cá não estão e o decorador não está para a limpar. Além disso, pagam-lhe mal por essa tarefa. Prefere, sem dúvidas, ir ganhar milhões para uma casa higiénica e fácil de governar. É esta a história metaforicamente contada.

A. Neves disse...

Anónimo das 12,15

É tudo mau... tudo mau, você emigre!

AV disse...

Tem toda a razão. Há por cá dignitários do Estado que parece terem perdido a cabeça! Cansaço?