quarta-feira, 6 de maio de 2020

Igreja

Esteve muito bem o Cardeal Patriarca na questão das celebrações. Esteve presente na Assembleia da República e adotou uma atitude de sensatez quanto ao evento em Fátima.

8 comentários:

" R y k @ r d o " disse...

É um Homem inteligente dotado de grande sabedoria.
.
Cumprimentos

Anónimo disse...

É capaz de ser mais inteligente do que a Isabel Camarinha e alguns trogloditas do PCP

Anónimo disse...

Mal teve quem equiparou a CGTP a Igreja. Gente que só prejudica a Igreja. São Pedro está vazio porque havia de ser diferente em Fátima. É o gosto de criar problemas
Fernando Neves

dor em baixa disse...

Sempre pensei que a Igreja organizasse a peregrinação na qual o padre da paróquia representasse os seus paroquianos que tinham a intenção de participar ou, na sua falta, por um paroquiano indicado pela comunidade de fiéis. A organização definiria um número limite, sendo excluídos os de menor representação. Num espaço tão grande como o recinto do santuário não seria difícil acomodar todos após a demarcação do distanciamento social.
A peregrinação é uma prática individual, não é uma prática de representação, mas era a maneira do ato não passar em claro no ano de 2020.

Anónimo disse...

dor em baixa tem razão.
Vai ser: António imita Francisco.

Luís Lavoura disse...

Mas que raio teve ele que estar presente na Assembleia da República? Não há separação entre a Igreja e o Estado?

Anónimo disse...

Deveriam dar alguma abertura às visitas ao santuário
além de ser uma prática de fé individual,
isto também porque os pequenos comércios precisam dos visitantes e peregrinos

Anónimo disse...

Depois de dias e dias da «novela» nos jornais… E, ao contrário do sheik Munir, não referiu o lado negro destes dias..