segunda-feira, 23 de abril de 2018

RTP

Nos últimos meses, tenho vindo a constatar algo que nunca antes fora para mim evidente: há por aí um imenso mundo de má-vontade contra a RTP, estimulando a intriga, fazendo figas pelo seu insucesso, colando-a a um “Estado” a abater. E há uns “inocentes úteis” a ajudar à festa!

4 comentários:

Anónimo disse...

Eu por opção de escolha não tenho em casa um aparelho de telvisão. Porque será?
Já me disseram que não devo gostar da cultura de massas.
É que de facto não gosto da cultura que esse meio de cominicação transmite.

Domingos disse...

Senhor Embaixador.
«há por aí um imenso mundo de má-vontade contra a RTP»
Sem qualquer tipo de dúvida que não faço parte desse mundo.
Poderá dizer que a minha afirmação: 'vale o que vale'.
Contudo, não será mais: 'alguns jornalista (felizmente poucos) põem-se a jeito'?

_ DP_

dor em baixa disse...

Tanto a televisão como a rádio públicas usam e abusam do entretenimento (até já a Antena 2 abriu portas ao entretenimento). Sabemos que, se não o fizessem, perdiam muito para a concorrência, mas que vale esse argumento? Por isso é que é serviço público e o serviço público não deve encher horas e horas com futebol, cançonetas inenarráveis, cenas de cromos e famosos, relatos de atividades políticas irrelevantes, etc. As diretrizes para o exercício daquele serviço deviam estabelecer limites para a sua produção, talvez a redução do tempo disponível contribuísse para aumentar a qualidade do entretenimento.

Anónimo disse...

Eu vivi em Portugal um largo tempo e conheci a informação totalitária da rtp. Ainda me lembro da arrogância de José Eduardo Moniz. E isto não se apaga numa geração.