terça-feira, 10 de abril de 2018

O desastre e o presidente

Ontem, ao ver os três telejornais das 20 horas (por “truque”, uns começam mais cedo) interroguei-me sobre a informação a que, nos dias de hoje, temos direito.

Os três canais hesitaram entre dar destaque de abertura à patética novela mexicana em que se transformou a presidência do Sporting ou à tragédia que envolveu uns inconscientes que foram andar de parapente para o Meco. Escuso de referir as prioridades editoriais da CMTV.

Ontem, dia 9 de abril, celebrava-se o centenário daquela que foi uma das batalhas mais trágicas da história das forças armadas portuguesas. Num gesto raríssimo, o chefe de Estado francês, acompanhado do seu homólogo português e do chefe do governo, deslocaram-se ao cemitério da Flandres em estão os que se sacrificaram pela pátria. A comunidade portuguesa em França, a mais significativa em número em todo o mundo, ficou extremamente prestigiada pelo gesto do presidente francês.

Mas as nossas televisões remeteram as suas peças sobre o evento em Richebourg para o meio da “tabela” dos seus telejornais. Para a informação dos três canais, o ”desastre” não foi La Lys, foi o Meco, e o “presidente” que mereceu destaque foi BdC, não Marcelo ou Macron.

6 comentários:

Anónimo disse...

Donde se conclui que as prioridades editoriais dos canais ditos sérios e de referência não andam longe dos da CMTV. Não me revejo no tipo e abordagem jornalística da CMTV, mas têm as costas largas...pelo menos ainda não convidaram o Sócrates para comentar o caso lula

Joaquim de Freitas disse...

O futebol foi desde sempre o cancro que corrói a sociedade portuguesa. A “massa” não tem tempo para mais… e contenta-se de passar o seu tempo num desporto de milionários, quase sempre incultos, que só pensam no “mercato”, desporto desnaturado por especuladores e bandos de "hooligans" rivais.

Anónimo disse...

Por alguma razão a geração até aos 40 anos nem quer saber seja o que for de jornais e televisão. Notícias então, é de fugir.

Anónimo disse...

É óbvio que é muito mais importante a tragédia no Meco do que um ato simbólico na distante Flandres relativo a uma coisa que se passou há 100 anos. Foi uma uma derrota. Se estivéssemos a falar da vitória de Aljubarrota, V.Exa. talvez nem se lembrasse do assunto. Não tinha tanto "prestígio".

Anónimo disse...

Mas no dia anterior fiquei sem perceber se era o BdC que ia ser preso ou o LdS ia ser demitido de presidente do SPC.
Mas o MRS já enjoa toda a gente. Não diz nada e quando diz desconfiam! E com toda a razão! Portanto ver "isso" para quê?
Depois vêm para aqui dizer que a massa é imbecil! Se se vissem ao espelho!
Tal como qualquer jornal: É já "expresso" que a única noticia segura que dão é a data!

Anónimo disse...

Espera-se que o CGI consiga, de uma vez por todas, fazer alguma recomendação ao critério dos noticiários da RTP. Já nem o do canal 2... Os privados estão no seu direito de fazerem o que querem, mas a RTP, para a qual os contribuintes, sem serem ouvidos, deslocaram mais 10 milhões para pagamento de dívidas (mas o que é isto???) não presta qualquer serviço de notícias minimamente civilizadas.