quinta-feira, março 30, 2023

"A Arte da Guerra"


Esta semana, no "podcast" sobre temas internacionais do Jornal Económico, ' A Arte da Guerra", falo com o jornalista António Freitas de Sousa sobre a atualidade da guerra na Ucrânia, da nova liderança independentista na Escócia e das atribulações do primeiro-ministro israelita.

Pode ver aqui.

13 comentários:

Luís Lavoura disse...

E de onde é a fotografia que ilustra o post?

Luis Ferro disse...

Não será da Escócia?

Luís Lavoura disse...

Luís Ferro, sim, será da Escócia, mas de onde, exatamente?

Anónimo disse...

Urquhart Castle

Paulo Guerra disse...

A russofobia como qualquer descriminação é uma coisa tramada e tolda a raciocínio aos melhores e não saímos disto! Vários ex-oficiais da CIA independentes, que sabem como se joga o jogo, já foram inclusive à ONU testemunhar como Washington planeou e provocou o conflito na Ucrania durante anos e basicamente terminaram todos a dizer que a Russia aguentou 8 anos o que os US não aguentavam 8 dias!

Um resumo das provocações da NATO pós golpe: https://jmss.org/article/view/76584/56335

E basta lembrar a crise de misseis de Cuba em 62! E o mais recente memorando vazado pela wikileaks do actual Director da CIA - à época Embaixador em Moscovo - sobre as consequências dos US implantarem misseis na Crimeia à semelhança do que fizeram na Polonia e na Romenia! Depois dos US também terem rasgado dois Tratados de desarmamento fundamentais para a humanidade, ABM e INF! Mas o Sr. Embaixador também responsabiliza a Russia pela nova corrida ao armamento e imagine-se, pela violação do Tratado de proliferação nuclear? Nunca os misseis na Polonia e na Romenia ou o intensificar de violações do cesar fogo no Donbass em Fevereiro de 2022 registado pela OSCE! E o que mais incomoda é a rectorica bacoca de Medvedev. Também é Biden que pôe Senadores como Linsdey Graham a ladrar? Ou o saudoso McCain em 2014 em reuniões com os nacionalistas ucranianos cheios de símbolos nazis?

Sempre com o recurso ao viés cognitivo do padrão duplo que permite as ogivas nucleares dos US por toda a Europa há décadas e centenas de bases militares sem qualquer escalar?! Além da tentativa de golpe de estado na Biolerrusia também com nacionalistas ucranianos como o levado a cabo na Ucrania. E também não deve ter dado conta da provocação já este mês com os bombardeiros estratégicos B-22 junto a S. Petersburgo. Sempre que a Russia responde na mesma pauta está o caldo entornado! E aproveito para dizer ao jornalista, Antonio Freitas de Sousa, muito preocupado com o tempo de resposta da NATO a um alegado ataque nuclear da Russia, que até à data o único país que usou armas nucleares foram os US! No Japão para Moscovo ver! E o único país com uma doutrina nuclear que admite um primeiro ataque também são os US! Onde há gente doida varrida que acredita mesmo que pode vencer uma guerra nuclear. Portanto talvez não seja da Russia que temos a temer algum primeiro uso de armas nucleares!

E desta vez nem vou tentar desanimar o Sr.Embaixador sobre o potencial militar que continua a ver na Ucrania. Porque julgo que não há qualquer relação direta entre o teatro de operações na Ucrania e as ogivas na Bielorrussia. A não ser para quem incorre desde o 1º dia no erro de olhar para este conflito como um conflito de agressão territorial clássico. Porventura com saudades da blitzkrieg alemã. Perdão, dos US! E pelos vistos acredita que a Russia não tem poder destrutivo convencional suficiente para caso quisesse planar Bakhmut de uma vez por todas num espaço de poucas horas. Mas enquanto Zelensky teimar em enviar homens para Bakhmut, em termos de desmilitarização, um dos objectivos anunciados, Bakhmut é o grande Jackpot da Russia até à data! Infelizmente para tantas vidas humanas. E o segundo a acontecer, é a famosa contraofensiva em campo aberto com a 10ª vaga de Wunderwaffe! É so que a Russia também aguarda com os homens que mobilizou que ainda nem precisou de implantar na frente!

Paulo Guerra disse...

cont:
Já penso que se a Russia tem evitado o golpe de estado em 2014 na sua fronteira como evitou o ano passado no Cazaquistão e porventura até devia transparecer mais atenção à tentativa de mais uma revolução colorida na Georgia para abrir uma 2 º frente de guerra como pediu despudoradamente uma alta patente militar ucraniana ainda a fazer lembrar outra vez Churchill aflito na WW2, muito provavelmente tinha-se poupado a a este conflito horrendo! À própria Russia, à Ucrania e a nós na Europa! E aqui já li muitas opiniões sobre o porquê da Russia ter permitido o golpe de estado em Kiev. Entretanto completamente embrulhado pela propaganda dos US para mais fácil entendimento do mundo livre! Já depois do vazamento do audio de Victoria Nuland a escolher os novos fantoches de Kiev e sempre com palavras de grande consideração pela EU.

E numa opinião muito pessoal quase do âmbito psicanalítico se me é permitido, penso que a Russia só não interviu em Kiev em 2014 depois de algum pedido de assistência do Presidente legitimo obrigado a fugir do país, por um qualquer sentimento de demasiado “respeitinho” para conosco, ainda resultado da dissolução da URSS. Quando a Russia alimentou por mais de uma década o sonho da casa comum europeia de um homem bom como Gorbatchev e foi completamente aniquilada economicamente pelos US. De forma que muitos no Ocidente ainda hoje nem calculam mas bem expressa nas taxas de mortalidade e suicídio. Espero muito sinceramente consigam no geral restabelecer índices de autoconfiança necessários a qualquer nação mesmo num tempo de globalismo que em muitos aspectos nunca mais retrocede. Apesar de algumas análises também em sentido contrário. E julgo que já vai dando provas dessa autoconfiança. Convenhamos que a incompetência de Washington mais uma vez na gestão de um conflito armado também ajudou!

Também já li que a Russia nunca acreditou que Nuland continuava com o golpe depois de exposta ou que a Russia ainda não estaria preparada para qualquer eventual pacote de sanções! Muito sinceramente, não acredito em nenhuma destas opiniões! Tanto que não hesitou em avançar para o referendo na Crimeia, do qual também resultaram sanções. Aliás, a economia russa já estava sobre sanções antes do golpe. E imagino a reacção do “mundo livre” se a Russia tem respondido a algum pedido de manutenção de paz por parte do Presidente legítimo da Ucrania como respondeu por exemplo na Siria. Onde pelos vistos o Sr. Embaixador também vê hoje Assad isolado?!

No meio da Liga Árabe com outros a gemer. Quando até o feudo medieval da família Saud, grande âncora do terrorismo islâmico e dos US no Médio Oriente já mudou de lado por puro pragmatismo economico. Mas a Russia é que tem passado as ultimas décadas a invadir tudo quando é país! Lembram-se daquele General russo ainda na guerra dos Balcãs com o memorando para invadir 7 páises em 5 anos? De sua graça, Wesley Clark? Um planeamento estratégico da Casa Branca de certeza na linha de mais um nobre pensamento da cabecinha genial de Madeleine Albright: “Então se possuimos este potencial militar todo vamos dar-lhe uso carvalho! A tradução livre é minha! Já o preço humanitário das aventuras amplamente reconhecidas é inteiramente dos US! Sem julgamento até à data, claro. Até parecia mal o TPI julgar algum governante ou soldado dos US!

Paulo Guerra disse...

cont:

Um conflito contra a Europa, a Russia e através da Russia e da Europa contra a China! Totalmente falhado por parte do Ocidente clectivo com consequências económicas muito graves para nós! E no tabuleiro geostratégico mais amplo esta semana já levou uma ex- Secretária do Tesouro dos US, Monica Crowley a alertar sobre as consequências “catastróficas” do dólar americano perder o seu status de moeda de reserva mundial. Nomeadamente para uma implosão completa do sistema econômico dos US e mesmo a nível global! Foi o que os US conseguiram até à data com a obsessão de desligar a Europa da energia russa e destruir a economia russa. Depor Putin e seguir para bingo para os recursos naturais da Russia outra vez, através dos quais queria atingir também a China! O que também decorre de um Presidente completamente demente.

E a Europa infelizmente também caminha para grande um abismo económico decorrente do divórcio dos seus dois grandes alicerces do crescimento das últimas décadas, segundo o próprio Borrel, por pura vassalagem a quem acabou de destruir os gasodutos do Báltico para tomar a Europa como refém. A começar pelo gás de xisto muito mais caro e muito mais poluente. Não sei se ouviram a Madame Lagarde num momento de apanhados esta semana a dizer o que não costuma dizer. Com a Europa numa pescadinha de rabo na boca económica como os US entre as taxas de juro e os títulos da divida:

https://www.youtube.com/watch?v=CtrNk2jHyVM

P.S. Finalmente, lamento a primazia dada a qualquer assunto relacionado com o UK em detrimento da útima tentativa de Netanyahu em derrubar o estado de direito em Israel ou pelo menos um dos seus grandes pilares independentes, a Justiça, para mais uma vez evitar o julgamento por corrupção! Com promessas muito graves aos seus dois parceiros de coligação, a extrema-direita fascista e a extrema-direita religiosa sionista para evitar mais uma queda de Govt.

Flor disse...

Luis Ferro, sim é na Escócia. Esse castelo fica ao lado do Lago Ness.A Wikipedia tem uma vasta descrição sobre o Urquhart Castle.

manuel campos disse...



Esta fotografia não podia ter sido mais bem escolhida.

Urquhart Castle é considerado o melhor local para ver o Lago Ness e, mais ainda, o local mais privilegiado para ver "Nessie", o nome carinhoso pelo qual é conhecido o monstro do Lago Ness.
Ora as alegadas "visualizações" do alegado "monstro" são habitualmente consideradas do domínio dos boatos que se espalham na internet e das crenças de que algo que nós queremos que aconteça virá a acontecer apesar de não ser muito provável nem mesmo sequer possível.

Portanto que melhor imagem do melhor "miradouro da realidade" que nos cerca onde agora todos estamos?

Paulo Guerra disse...

Logo na primeira vez que derrubaram Yanukovich na Revolução Laranja de 2004, numa alternancia perfeitamente normal até aí no mosaico étnico que sempre foi a Ucrania - a seguir à Revolução Rosa na Georgia de 2003, que foi só o tempo do embaixador dos US transferir as credenciais de Tiblissi para Kiev, um campeão de golpes que levou ao louco do Saakashvili e à guerra por procuração na Georgia que dizimou milhares de famílias – o Presidente Viktor Yushchenko na Ucrania - depois de “envenenado” só durante a campanha eleitoral - elevou Stepan Bandera a herói nacional e pai da Ucrania! Uma espécie de Himler que até as SS nazis aterrorizava pelo terror bem expresso em Babi yar. Na segunda vez, o olicarca Poroshenko, que queria ver as crianças do Donbass sempre assustadas num porão, entre muitas leis para descriminar e persseguir uma parte substancial da sua população, a etnia russa, basicamente proibiu a cultura e a língua russa falada pela maioria dos ucranianos, independentemente da etnia. E basta visitar Kiev ainda hoje!

E rapidamente chegámos ao massacre de Odessa, até hoje por investigar! E à força áera de um pais a bombardear parte da sua população, no caso a população civil no centro de Donetsk! Por mais que uma vez! Porque Domestk nunca aceitou com toda a legitimidade a intervenção externa e o golpe com a deposição do seu Presidente legítimo que as sondagens à època no Independente de Kiev - totalmente pró Maidan - também dizem que mais de 50% da população também nunca apoiou. Ao contrário do que diz a propaganda dos golpistas ainda hoje! Depois de abrirem televisões à pressa para transmitir uma praça cheia de gente com um mix de população real porque decorriam protestos - que a CIA já é eximia em sequestrar - e figurantes para que o mundo percepcione um país em furia. Como estão a fazer agora em Tiblissi e fazem há mais de 30 anos à volta do mundo! Mas Portugal também não cabe no Rossio pois não? E eu pergunto que ser humano hoje ainda vê na Ucrania, onde só metade do país vota, onde se ilegalizam partidos da oposição e desaparecem jornalistas, inclusive já com o comediante eleito com a promessa de repor a paz mas entretanto mudou de ideias e já queria retomar a Crimeia e armas nucleares, uma grande Democracia como diz a propaganda de Washington e Bruxelas? A Ucrania não é uma Democracia nem um estado independente! É um proxy que os US sustentam para tomar a Russia! E falharam! E estão a lavar uma tareia no mundo muito além dos desgraçados dos ucranianos! Infelizmente conseguiram desligar a Alemanha da energia russa que todos nós na EU já estamos a amargar!

E como é que o Sr. Embaixador consegue continuar a dizer que a NATO não invade ninguém depois de bombardear 3 meses seguidos Belgrado sem qualquer resolução do CS da ONU? E depois de acrescentar que a NATO são os US e bem? Por isso é que esteve praticamente em todas as guerras ilegais dos US! E à Russia hoje não lhe acontece o mesmo porque tem gente mais inteligente e sobretudo tem o potencial nuclear que tem! Por mais triste que seja reconhecê-lo! Ou os US nunca derrubaram nenhum Govt com golpes de estado como no Irão, Chile, Venezuela e agora Ucrania etc, etc ou criaram bandeiras falsas como no Golfo de Tonquim, para não falar da Servia, para começar a sancionar e pior, a bombardear um país! Ou as cimeiras que promoveram na Europa durante todo o ano passado para dividir a Russia em 15 paises. Certamente para promover a paz na Ucrania e passar a confiança certa para Moscovo não temer a ameaça existencial da NATO na sua fronteira! Porque a NATO não invade ninguém como diz o Sr. Embaixador! Muito menos os US! E os misseis no mar negro e eventualmente na Crimeia da doutrina Wolfwitz explanada em inúmeros papers de vários think tanks dos US, são só para decoração como os misseis da doutrina Krushev em Cuba!

Paulo Guerra disse...

E o que se escreveria se Moscovo tem aplicado a receita de Belgrado em Kiev? Mas como não aplicou o mesmo argumentista da CIA que criou o soundbite “eu não quero uma boleia, quero é armas” para o comediante de Kiev - porque tem umas grandes bolas num bunker, onde nem os Oficiais da NATO se têm safo ultimamente - decidiu que a Russia era fraca porque não tomou Kiev em 3 dias! Algo que a Russia nunca afirmou como é óbvio! Mas se a CNN diz que afirmou só pode ser verdade! Como Rui Rio também ia ganhar as eleições lembram-se? Eu quase vi uma apoplexia em directo! Porque Costa mesmo que ganhasse já tinha perdido! Aliás, segundo um dos principais propagandistas da Ucrania, entretanto caído em degraça por ter dito uma verdade ao fim de um ano, parece que a Russia só entrou na Ucrania com a intenção de negociar e fazer cumprir os acordos de Minsk que todos os subscritores desonraram e o Ociente mais uma vez boicotou!

Segundo palavras do próprio numa tradução livre, a Russia não queria fazer mal a uma mosca, quanto mais a Bucha 3 dias depois do próprio Mayor garantir que estava tudo bem em Bucha?! Só pode ter sido comprado pelo Kremlin! E tudo isto não é matéria de opinião mas de facto! Mesmo que que os melhores opinion makers nunca parem de dizer o contrário! Eu até ouvi uma dizer que os US nem sabiam onde era a UKR antes de 24 de Fevereiro! Sem se rir! Com bases da NATO a operar num país sobre um Tratado de neutralidade e com o Zelensky a reclamar por armas nucleares em Bruxelas! Que aquando da dissolução da URSS os próprios US preocupados com a sua disseminação em países recentes e muito instáveis - eufemismo para corrupção - pediram a Moscovo para as transferir as nukes todas para a Russia! Mas parece que os US já estavam muito fixados em Taiwan, por outras palavras! E sobre a China o que eu gostava de ler de todos os Embaixadores à volta do Mundo!

https://consortiumnews.com/2023/03/24/craig-murray-why-would-china-be-an-enemy/

Paulo Guerra disse...

Em suma, só posso conotar como triste como passado quase 1 seculo da WW2 continuamos com a mesma mentalidade da cortina de ferro e da guerra fria que só serviu para dividir a Europa como já o Império Britanico sempre almejou e deve ter atravessado o Atlantico no livro de instruções do Império! Como hoje! Mesmo para quem nunca concordou com os despojos de Ialta da WW2! Mas os despojos de guerra não tinham que se tornar permamentes! É completamente omitido pela história que a URSS tentou entregar a Alemanha Oriental e e integrar-se mais no Ocidente logo na década de 50! E condições dos US? Que Moscovo destruísse todo o seu arsenal de armas no Oriente! Aqui está uma forma eficiente de manter o status quo que nunca tiveram intenção de alterar para ver a Europa unida! E o mesmo com a actual arquitectura de segurança europeia com os misseis no mar negro! Como é que até quem ama a paz se congratula com a perda de um activo neutral tão importante como a Finlandia se não por russofobia quando a própria NATO está prestes a perder um membro como a Turquia que vale mais de 100 Finlandias? Os sauditas acabam de entrar na SCO e a fila dos BRICS não para de crescer! Algo devemos estar a fazer mal quando os BRICS já valem mais que os G7!

Agora debater isto com quem continua a ver o papão comunista em Moscovo porque infelizmente nem conseguem distinguir a utopia comunista internacionalista de Leninne da ditadura nacionalista de Stalin ou qualquer regime político de Moscovo até à data que diz respeito antes de mais… aos Russos! E para os distinguir não é preciso apoiar nenhum! Podemos todos continuar democratas sem guerras! E até a negociar com diferentes regimes políticos como sempre fizemos! Porque a Europa não sobrevive economicamente sem a energia russa e o comércio com a China! Tudo balelas! O gás de xisto dos US é muito mais caro e mais poluente! E qualquer monarquia do golfo, a começar pela da família SAUD é 100 vezes mais medieval que Moscovo! Alias, parecido só Pyong Yang! Mas com quem curiosamente não temos problema em negociar?! E nós no sul da Europa que nem precisamos da energia russa ainda somos mais entalados por solidariedade. Como no último crash! Construimos na Europa o Evereste da nossa civilização com os estados socias europeus! Dos quais abdicamos todos os dias devido ao serviço das dívidas e ao regresso da inflação para continuarmos a alimentar uma guerra dos US na Europa e entregarmo-nos como reféns com o sindrome de Estocolmo!

AV disse...

Humza Yusaf nasceu em Glasgow e é filho de imigrantes paquistaneses. É de origem paquistanesa, não indiana. É muçulmano e Sunak é hindu. Podem parecer detalhe mas são influências diferentes.

Concordo que ambos demonstram uma cultura de inclusão de pessoas de origens diferentes na política britânica, embora não se deva memorizar o sentimento anti-imigração, particularmente da área direita dos conservadores. As caras desse sentimento muitas vezes são, como já aqui se referiu, pessoas com essa diferença na origem. É um reflexo de uma sociedade complexa e interessante.

O impedimento

Hoje, estive na Universidade Fernando Pessoa, no Porto, a apresentar uma comunicação num congresso sobre Ciência Política e Relações Interna...