terça-feira, 26 de janeiro de 2021

Já é azar!


Conseguir um estacionamento perto do oculista, com uma farmácia em frente, onde “aviei” uma receita que trazia à mão desde ontem, prenunciava um bom início de tarde. Esta Lisboa pandémica, tem uma vaga em cada esquina. Função executada, regresso ao carro. Não abre! Não abre? Não abre! Ó diabo! Será a pilha?

O Smart tem 10 anos, 20 mil quilómetros e faço trinta por uma linha com ele, nesta quarentena, pelos altos e baixos da cidade. A chave tem essa idade e a pilha, imagino, não é, com certeza, mais nova. Comprei-o em Paris, um ano e pouco antes de regressar a Lisboa. Foi num stand junto ao Trocadéro, a um luso-descendente simpático e falador (em francês), satisfeito por vender um carro ao embaixador da terra dos pais. Nunca nos deu problemas. Só hoje!

Ainda bem que a EMEL está de férias! Se o carro não arrancar, fica mesmo ali. Há, lá por casa, outra chave. Se não, avança o reboque do ACP. De qualquer forma, é uma chatice! Agora, lá tenho de ir à vida de Uber ou de táxi. Usar o mínimo possível transportes alheios tem sido a minha regra nesta época. Mas lá terá de ser!

À lisboeta clássica, chega-se um transeunte, pelo passeio. “Então não abre, é? Deve ser da humidade”. Sei lá se é! Só sei que o carro não dá sinal! Vou à porta contrária, forço a fechadura. Nada! Passaram-se, entretanto, cinco minutos, comigo a hesitar sobre o que fazer.

Aproxima-se, entretanto, outro cidadão, este atravessando a Avenida António Augusto de Aguiar: “É capaz de ser da chave!”. Olha o espertalhote! Até aí chegou o Neves! “Com esta deve dar!”, diz o homem, com o que devia ser um sorriso por detrás da máscara: “É que este é o meu carro. O seu deve ser aquele, que está ali, um pouco mais acima, farto de acender as luzes...”

E lá fui para o meu carro.

10 comentários:

Tony disse...

Fartei-me de rir, Sr. Embaixador. Ainda não tinha os óculos novos?. Aconteceu-me o mesmo, mas no meu golf. A porta deixou de abrir, a pilha deu-lhe para ali. O carro é de 2008, tem mais de 12 anos. Fui a uma casa de chaves e o funcionário deu-me uma dica, coisa de que não sabia. A fechadura(ranhura), que nunca vira, existe, mas está tapada, cuja tampa é amovível, para cima deixando a tal ranhura à vista, enfiei a chave e lá fui. Não sei, de todo, se com o Smart se passará o mesmo. Aqui fica o meu pequeno subsídio, para nova e eventual aflição, mas no próprio carro, é que vale.

Joaquim de Freitas disse...

Muito boa, Senhor Embaixador : Enquanto formos capazes de fazer dessas, é que tudo vai bem...é que eu também me aconteceu o mesmo! O pior é que o carro, que não era o meu, abriu mesmo! Vamos là saber porquê! E teve sorte que a policia não andava por ali, porque procurar abrir um carro alheio...

Tomé Namora disse...

Já ganhei o dia!
Mas que boa gargalhada que eu dei!
O senhor devia dedicar-se ao romance policial... a estrutura deste pequeno post, com o suspense em crescendo, é uma pérola para os dias tristonhos que temos de enfrentar!
A sua escrita regra geral é um bálsamo!
Sugestão para evitar futuros equívocos: Ate uma fita colorida ao espelho lateral...
Bem haja e votos de muita boa saúde
Tomé Namora

Maria disse...

FIAT LUX ouvia eu na missa enquanto lá ia ...
Mais tarde rebusquei textos em latim

DIXITQUE DEUS FIAT LUX ET FACTA EST LUX Genesis 1:3.

Muitos anos depois deparo com a bela gravura de Gustave Doré "A Criação da Luz". Já dizia Shakespeare " All's Well That Ends Well".

Um bom fim de dia com óculos novos.

Cumprimentos
Fernanda

A.B. disse...

Não vá para longe de casa sem o comprovativo de morada.
Nunca, em 58 anos de vida, um governo me ordenou onde fazer as compras. Diga-me, como é que se chama este tipo de regime?
Foi para isto, o 25 de Abril?

Tony disse...

Eu cá, vou fazer as compras, onde quero. Se está a insinuar que quer ir ao Algarve fazer compras, pode. Só no fim de semana passado é que ouve limitações e bem, por causa da galdeirice. Porque parece, que anda para aí um bicho à solta, que faz mal às pessoas e é para bem delas, que querem ir ao Algarve, fazer compras. Eu cá fui, na 2ª feira. O Regime deixou-me. Foi, também para isto, que evidentemente, foi feito o 25 de Abril. Abençoado Regime.

A.B. disse...

Tony.
Não ponho os pés no Algarve há 3 anos. Por razões que não vêm ao caso há 3 anos que não tenho férias. Galdeirice zero.
Agora leio na imprensa que quando for ao supermercado devo levar um comprovativo de morada. E há coimas envolvidas, pagas na hora.
Não é preciso grande imaginação para perceber que, se não for ao supermercado mais próximo de casa, terei uma conversa surreal com um agente da polícia. E talvez a coima.
Acontece que nunca vou ao supermercado mais próximo de casa. Vou ao supermercado que é melhor e mais barato. E não vejo problema sanitário nisso. Alguém no governo pensa diferente. E mal.
Mas, só o facto de sair de casa com um comprovativo de morada, associo a checkpoints e a um muro que já não existe.
Não compreendo estas leis. A não ser, evidentemente, para quem quer desrespeitar o confinamento. Que eu respeito. Veremos se me respeitam a mim.

Tony disse...

A imprensa, na sua grande maioria é tendenciosa e quer é ver sangue, com que se alimenta. É, por sistema, contra quem tem que tomar medidas para defender os cidadãos. As novas medidas de confinamento, foram anunciadas, em direto, nas televisões, pelo Sua Exª o Primeiro Ministro. Quem não pôde ouvir, pode ir ao Site do MAI e está lá tudo. Menos do que falou, no ridículo ato de ter de levar um papelinho a informar as autoridades, sobre onde mora. Pode fazer compras, onde quiser. Até fora do Concelho de residência, (exceção nos fins de semana). Atenção aos novos horários de funcionamento. Saudações cordiais.

Unknown disse...

Senhor embaixador

Esta semana a Governadora Geral do canada pediu a demissao porque ia ser dis+pensada pela Rainha Depois das queixas dos empregados e um inquerito feito pormuma entidade estranha ao governo ia ser demitida
Parece que a pro+potencia e talvez outros assuntos ,menos claros estao na origem
Os nossos medias ate hoje nada diseram No Canada vivem milhares de portugueses
Na nossa terra por muito mais nimguem se demite
E a vida como dizia alguem
Muito obrigado pelos seus escritos e um regalo acompamhar o seu Blog

Liberal Correia


Francisco de Sousa Rodrigues disse...

Muito bom! Aqui há uns meses, o meu pai com um carro da empresa para a qual trabalha que está destacado a um colega dele, numa bomba de gasolina mete chave e nada de rodar, vem reboque, vai para a Peugeot e lá chegado, sem problemas, o carro foi posto a trabalhar normalmente. Na vez seguinte que pegou no carro, volta acontecer, desta vez liga para o colega que lhe pergunta, "ouve lá, que chave estás a usar, a do comando ou a outra?", é aí que cai a ficha, o meu pai pensando que ambas as chaves eram do mesmo carro inseria uma outra chave que é do carro particular desse mesmo colega.

Muitos Parabéns, muitos e plenos anos de vida!

Um abraço.