sábado, 23 de janeiro de 2021

Incivilidade espertalhota

Devia ser tornado público o “quadro negro” dos espertalhões que, usando abusivamente as suas funções, “furaram a fila” para se poderem vacinar antes de quem tinha prioridade.

Neste tempo difícil para todos, não me repugnaria ver legislação de exceção para punir essa gente.

2 comentários:

aguerreiro disse...

Nem sempre são "espertalhões". Há dias no meu consultório observei um doente meu, electricista de ofício, conhecido de há muito que se queixava do estômago (salvo Erro), depois da receita passada e dado a pandemia em curso chamei á coleção os "sacrossantos" cuidados profilácticos que deveria cumprir. Atento ao que eu dizia dispara-me: -Sabe dr fiz ontem a vacina.
Como? perguntei eu sabendo que pela idade e profissão seria dos últimos da fila.
Candidamente diz-me: -Acompanhei a minha mulher á Câmara de Viana do Castelo para ela fazer a vacina (diga.se que a esposa deste sr tem indicação pois trabalha num infantário e fez um acidente vascular cerebral há anos) e a enfermeira (que eu conheço desde a barriga da mãe) dispôs-se a vacinar o cônjuge pois "tinha vacinas que chegassem",
Ora toma penso eu quanto não vale uma câmara do PS que tem excedente e eu reformado da saúde mas activo no consultório, com outras morbilidades Nicles!

A.B. disse...

Apoiado. E descubram a luminária governativa que dispensou 800 mil doses da vacina da Moderna.