terça-feira, 5 de janeiro de 2021

Aqui chegámos!

 


3 comentários:

Luís Lavoura disse...

Hoje em dia, na cultura dos EUA, uma pessoa é aquilo que afirma ser. Uma pessoa pode ter um pénis e afirmar ser uma mulher, exigir ir ao balneário das mulheres, e competir com mulheres em desportos com prémios. Uma pessoa, por exemplo a vice-presidente Kamala Harris, pode ter a pele branca e afirmar ser negra. Vale tudo. É a moderna política identitária: uma pessoa não é o que se vê ser, mas aquilo com que afirma identificar-se.

Jaime Santos disse...

Claramente, Luís Lavoura, a ironia não é o seu forte...

fsousa disse...

o tipo parece ser albino....