segunda-feira, 18 de janeiro de 2021

Hipocrisia

Não é popular dizer isto, mas exonerar os cidadãos das suas responsabilidades cívicas, pelo seu comportamento na pandemia, fazendo do governo o bode expiatório de todas as culpas - por não forçar os portugueses a fazer aquilo que eles não querem fazer - é uma imensa hipocrisia.

6 comentários:

josé ricardo disse...

É impressão minha, ou eu vejo as pessoas a cumprir, na maioria, o preconizado pelas instituições de saúde? É impressão minha, ou as televisões, em geral, criam uma narrativa de culpabilização dos cidadãos que saem de casa "aos magotes"? É impressão minha, ou o Governo não curou os mais fragilizados, designadamente os velhos que estão nos lares? É impressão minha ou as escolas, ao nível do secundário, deveriam optar pelo ensino à distância? É impressão minha ou o senhor embaixador está a ser, no que à pandemia diz respeito, demasiado benevolente para o Governo?

jose duarte disse...

Eu diria que: hipocrisia em tempos de pandemia somada a um período de campanha eleitoral, não tem limites.
Estão, quase todos, armados em especialistas e em decisores de primeira linha, desde as corporações até ao mais ignorante politico, não esquecendo os comentadores .....
Aliás, aplica-se bem a máxima do outro: "prognósticos só no final do jogo"

hmj disse...

Exmo. Senhor Embaixador,
aproveito a deixa para chamar a atenção para outra hipocrisia e o desfazamento da responsabilidade cívica pessoal de que ninguém fala. São os "lares ilegais". Não serão os familiares, frequentemente para poupar a herança ou uns testões, que lá colocam os "velhinhos"?
Obviamente, não estou a falar de uma assistência básica que o Estado devia assegurar aos mais necessitados. São mundos diferentes que precisam de respostas adequadas. Sem demagogia.
Relembro, apenas, que é a família que tem a responsabilidade de cuidar da educação dos filhos e da assistência aos seus membros na situação de carência.

Jaime Santos disse...

Sobretudo é de uma imensa hipocrisia quando, que me lembre, a Direita defendeu o 'desconfinamento' do Natal, que provavelmente levou aos números atuais (é somar 2 ou 3 semanas aos contágios que ocorreram entre 24 de Dezembro e 1 de Janeiro)...

Mas, como de costume, a batata quente para sempre em quem exerce o poder... É a vida...

Flor disse...

Imaginem se não vivessemos em democracia??

Lúcio Ferro disse...

São oxímoros, lá está:

Não é popular dizer isto, mas exonerar o governo das suas responsabilidades executivas, pelo seu comportamento na pandemia, fazendo do Zé Povinho o bode expiatório de todas as culpas - por não forçar o governo a fazer aquilo que o governo não quer fazer - é uma imensa hipocrisia.