sábado, 23 de abril de 2011

Notas pascais (3)

1. "Mal ou bem, escrever é ainda a melhor maneira de nos sobrevivermos. Sim, feitas as contas, escrever é morrer mais devagar" - diz Marcello Duarte Mathias, em "Um ovo de Páscoa", o merecido "in memoriam" organizado pelos amigos de Paulo Lowndes Marques, que Mário Quartim Graça teve a amabilidade de me enviar.

2. Conflitualidades de agenda obrigaram-me a faltar ao concerto de Marisa na prestigiada sala Pleyel. Terei nova oportunidade para ouvi-la, com outros nomes grandes, no dia 10 de junho, no grande espetáculo sobre o Fado que Emanuel Démarcy-Mota acolherá no Theâtre de la Ville, em colaboração com a Câmara municipal de Lisboa.

3. Fala-se por aqui da possibilidade de suspensão, pela França, de certos aspetos do acordo de Schengen. Nada de novo: aquando da presidência portuguesa desse acordo, em 1997, a França, através do então ministro para os assuntos europeus, Michel Barnier, pôs em prática essa liberdade nacional, dessa vez para evitar tráfico de droga vindo de países mais a norte.

4. E lá se foi João Maria Tudela. A imagem de gentleman de extração tropical, com o "Kanimambo" a lembrar para sempre um Moçambique de outros tempos, fica-lhe colada à pele. 

5. Tinha prometido a mim mesmo que, enquanto estivesse em Paris, não deixaria de participar na marcha que, em Fontenay-sous-Bois, anualmente se faz em torno do 25 de abril, uma ruidosa parada de archotes e bombos, com a alegria com que aqui se sabe comemorar a Revolução, uma ideia lançada pelo meu amigo Baptista de Matos. Mas as boas intenções também podem ser derrotadas por impedimentos insuperáveis.

5 comentários:

anamar disse...

Nem sempre as coisas nos correm a feição, ou então o dom da ubiquidade, nem sempre é possível.
Esses "macarrons" quase rivalizam com as amendoas que tenho na minha frente.:))
Santa Páscoa.
Ana

margarida disse...

... extraordinário, mesmo, é o facto (inaudito, deveras) de nunca ter provado um macaron...
Eu bem digo que sou uma ignorante...
:(

Anónimo disse...

Oh Margarida, nem eu, mas têm um aspeto...

Confesso que até tenho receio do contacto e vicio imediato...Melhor nem experimentar!!!...

já há tantos sabores de perdição para inibir e estimular o autocontrole...Vou até pensar na crise.
Isabel seixas

Anónimo disse...

Notas pascais (4)
Na passada quinta-feira dirigi-me ao Consulado Geral de Portugal às 13h20 para registar uma criança, mas qual nao foi o meu espanto quando o continuo me impediu de entrar porque o Consulado fechava às 14h (e so podia entrar quem fosse retirar documentos, tipo BI ou passaporte) para so reabrir na proxima terça-feira dia 26 de Abril.
Se ja nao consigo compreender porque têm direito os funcionarios do consulado (e da embaixada) aos feriados franceses e aos feriados portugueses menos ainda compreendo porque fazem ainda por cima tolerância de ponto !
Nao seria logico que estes serviços estivessem em funcionamento durante os feriados franceses dando assim a possibilidade aos portugueses residentes em França de tratar de assuntos relativos ao seu pais de origem sem terem de faltar ao emprego ?
Aceite Senhor Embaixador as minhas desculpas de utilizar este seu blogue para lhe dar parte de um desagrado.

Anónimo disse...

Desculpe porque sou mesmo "Encherida"

Mas naturalmente concordo com o Sr... Anónimo das 23...e...

Registar uma criança aliás deveria fazer andar o Mundo...

Parabéns ao Sr... Da criança...
Pêsames ao continuo...
Isabel Seixas