sexta-feira, 1 de abril de 2011

Crise na maioria

Numa recente reunião das chefias da UMP, o partido da maioria que apoia o presidente francês, o antigo primeiro-ministro Jean-Pierre Raffarin, pertencente à sensibilidade mais centrista, mal chegado à mesa de trabalho, dirigiu-se desta forma ao presidente Nicolas Sarkozy:

- Senhor presidente, estamos divididos e fraturados, estamos em crise, a situação é muito grave, há aqui claramente dois campos!

Conhecidas que são algumas tensões políticas que atualmente parece atravessarem a maioria governamental, os presentes na sala terão ficado algo expectantes. Raffarin esclareceu:

- Há quem aqui tenha já café e há quem ainda o não tenha...

A história vem ontem numa revista.

Nada melhor que o humor para descrispar os ambientes políticos...

3 comentários:

patricio branco disse...

O humor é poderoso, incluindo em politica, onde faz muita falta.

Helena Sacadura Cabral disse...

Ai, Senhor Embaixador, aqui todos têm café. O problema é que uns gostam de arábica e outros de robusta. O de mistura, ideal, parece que serve a poucos. E é pena porque é o mais saboroso...

Anónimo disse...

A cafeína como substância estimulante é poderosa, há quem não "funcione" sem Ela...

A“dose-resposta favorável” para aumentar o rendimento, às vezes
( cada caso,(pessoa), é um caso)
exige a toma em 4 horas de 4/6 cafés o que perfaz aproximadamente um achado na análise à urina de 12 mg/dl.

E se precedida dos desconfortos do síndrome de privação tal como a necessidade absoluta de a tomar, já com ansiedade à mistura... Pois estão criadas as condições para o conceito de cafeína como droga...

Agora colocar a tónica na crise...
Revela a peculiaridade do sentido ...De humor,oh se revela...

Isabel Seixas

De qualquer forma a imagem é um estimulante, até de Português vernáculo, já sei!;:_?... proibido neste blogue... Agora que é tão português como o outro claro que é... Não se nega a evidência.