quarta-feira, 27 de abril de 2011

Ideias

A propósito de algumas patetices que, nos tempos que correm, aparecem por aí como soluções miraculosas no plano internacional, Laurent Fabius, antigo primeiro-ministro francês, com quem hoje estive num almoço, relembrava uma frase de François Mitterrand: "Il ne faut pas prendre toutes les mouches qui volent pour des idées" ("não devemos confundir todas as moscas que voam com ideias").

É bem verdade.

11 comentários:

patricio branco disse...

"ou sai asneira ou entra mosca"

Helena Sacadura Cabral disse...

Mas que post oportuno!
Ouve-se e lê-se com cada coisa que até dói, como dizem na minha terra.

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Pois é, não nos podemos esquecer de que só as moscas mudam...

Abç

Francisco Seixas da Costa disse...

Caro Henrique: eu suspeitava que você ia ser o primeiro a citar a obviedade.

Anónimo disse...

"não devemos confundir todas as moscas que voam com ideias".

Nunca tinha ouvido/lido a expressão,
agora a conotação da palavra "ideias" emerge com uma responsabilidade deliberativa...

Interessante...
Isabel Seixas

Pensando bem se se fizer screening das ideias idiotas a solidão amplia... e os diálogos esmorecem, não?

patricio branco disse...

homem misterioso, esse mitterrand, desde a sua vida pessoal ao seu trajecto politico.
Mas certamente com um qi altissimo e com um ego que o ocupava todo.

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Caro Francisco

Peço desculpa pelo comentário calino, mas... foi o pude arranjar. E como vir aqui é um prazer, não resisti...

Abç

Helena Sacadura Cabral disse...

Estou a ler muito sobre ele e gostava de escrever s sua biografis
Já tenho poposta falta-me a invertigadora. Lá ghegeremos!

Francisco Seixas da Costa disse...

Caro Henrique: por amor de deus! Eu apenas quis dizer que você não resistiria à tentação. Estava tão à mão...

Anónimo disse...

isso de ideias e moscas (e do que fica quando estas mudam) moveu a velha que tenho em casa, malcriada, a rimalhar novo sonetilho ao tal videirinho de quem leu notícias na 'câmara corporativa' de 27.04 ('diplomacia do croquete'):

já foi diplomata
dos tais do croquete.
agora que investe
saca toda a prata

como lhe compete
de quantos contacta
que tudo arrebata
lá onde se mete

quer seja a AMIgaia
quer a bielorrússia
que irão de carrinho.

com tão bela súcia
vai caia não caia
hic hic vivó vinho!

Anónimo disse...

Acho o sonetilho tão giro, que nem percebo porque é medricas, mas isso sou eu também...
Isabel Seixas