quinta-feira, 6 de maio de 2021

Verdes, na Escócia


Era um domingo. Creio que foi em 1993. Perto de Glasgow. Numa bomba de gasolina, numa localidade pequena.

Atestei o depósito, entrei na loja, levei, de uma prateleira, o “Sunday Times Scotland” e fui pagar. Ao balcão, uma senhora, na casa dos (então meus também) quarenta, com uns olhos verdes. Deslumbrantes.

Chegado à porta, voltei atrás e disse à senhora, sem grande jeito para estas coisas: “Não vai levar a mal se eu lhe disser uma coisa? Tem uns olhos lindíssimos! É só isso que queria dizer-lhe!”.

Ela sorriu, levemente, e disse “Thank you!”

A minha dúvida é se ela tomou nota da matrícula, do nome no cartão de crédito, se isto pode ser considerado assédio e se o crime terá prescrito, não obstante eu poder invocar imunidade diplomática. Estou a brincar? Não, já não sei se estou a brincar!

4 comentários:

A.B. disse...

É algo que se está a perder, o poder dizer, no devido contexto e com toda a cortesia, a uma mulher bonita, que o é. Dantes era um elogio, até porque se uma miúda é quase automáticamente bonita, e não há nisso grande mérito, a partir duma certa idade, a beleza e elegância são fruto de muito trabalho e merecem respeito e admiração.

hmj disse...

Com o devido e profundo respeito pela civilidade, integridade e humanidade do ser humano, apenas estranho estas acusações - revelações - serôdias, promovidas, estranhamente, pelas redes sociais e certos circuitos mediáticos.

albertino ferreira disse...

É preciso ter cuidado, se fosse hoje era assédio com certeza, elas andam assanhadas!

Flor disse...

É muito complicado!!

https://youtu.be/SszsFj3hqr8