domingo, 16 de maio de 2021

Decidam-se!

 


As restrições às viagens, por virtude da crise pandémica, arruinam a organização do trabalho das pessoas...

2 comentários:

hmj disse...

Crítica social: Pena é que os turistas, na sua maioria, são, actualmente, incivilizados, designadamente de língua inglesa, alemã e francesa. Para além de contribuírem para a descaracterização da cidade, pela ignorância cultural que lhes é própria, promovendo a profusão incontrolada dos espectáculos indigentes nas ruas, passeiam-se pela cidade, centro e Baixa da Capital, sem máscara, num óbvio desafio aos cumpridores íncolas. Parece que saíram do aperto do país nativo, para mostraram o seu caráctar de "idiota" perante a pandemia na plenitude. Infelizmente sem nenhuma acção fiscalizadora ou defensora de saúde pública. Não há, da parte das autoridades e/ou empresas responsáveis - CML e AHRESP - nenhuma acção visível de aviso. Não me parece aceitável, como na Turquia, que os nativos tenham que ser cumpridores para receber, A TODO O CUSTO, a nova invasão de "hordas indiferenciadas" para manter uma actividade económica altamente questionável, nos termos em que tem funcionada. Acabou, infelizmente, o comportamento cívico e básico de respeito pelas características do país de visita, que era um princípio fundamental durante a minha vida de viajante. Motivo essencial de viagem, parece ter desaparecido por completo. No entanto, não vale a pena viajar sem o princípio fundamental: a curiosidade para descobrir, respeitar e enaltercer o cultura do OUTRO.
Se o viajante alemão quer ter o seu "leitinho Bärenmarke" ao pequeno almoço, é como se dizia no meu tempo, é melhor ficar em casa ou passar férias na Baviera.

maitemachado59 disse...

caro hjm

O OUTRO tem sido sempre um problema desde tempo imemorial ...

maitemachado59