domingo, 9 de maio de 2021

After Eight


Creio que foi já nos anos 70 que o “After Eight” entrou em Portugal. A certa altura, não havia jantar social em que, com o café, não fossem servidos aqueles retângulos de chocolate com uma pasta de mentol dentro.

As donas de casa, ou os empregados, quando existiam, traziam aquilo aos convidados, numas caixas verdes de papel que, até lá, se colocavam nas prateleiras do frigorífico. 

Com os anos e os calores de época, todos tivemos a experiência de ser servidos de “After Eight” moles e pegajosos, difíceis de tirar do “saco” de papel, visivelmente reciclados da sua frescura antiga, que dava uma imensa e atrapalhada trabalheira deitar fora, quando estávamos em casa alheia. Graças a mim, várias plantas em vasos floresceram a cheirar a mentol.

Há um belo restaurante lisboeta que manteve, desde sempre, a tradição de servir um “After Eight” com o café. A quem acertar no nome da casa estou em condições de prometer que, quando lá forem, irão ter direito a um “After Eight”. E podem dizer que vão da minha parte.

1 comentário:

Flor disse...

Café de São Bento.

+


☺️Fui ver ao Google 🙃