sexta-feira, 14 de maio de 2021

Na vizinhança



A bem dizer, o “Geographia” é o restaurante mais próximo de minha casa. E, injustamente, poucas vezes me lembro de lá ir. Fi-lo ontem, para jantar. E, como sempre - sempre, repito - aconteceu, saí imensamente satisfeito. 

O “Geographia” justifica que, por uma vez, eu use a irritante palavra “conceito”, aplicável a uma casa onde se vai para comer e beber. O “Geographia” é um “conceito” muito original no nosso país: apresenta pratos dos várias regiões e culturas que Portugal, na sua aventura imperial, cruzou pelo mundo, da Ásia à América e à África. Fá-lo com um extremo cuidado na apresentação, sem “sublinhar” em excesso certos sabores específicos, adequando o equilíbrio culinário ao gosto português médio, mas sempre de uma forma elegante e até sofisticada.

O “Geographia”, que fica na parte elevada de um largo junto ao Museu Nacional de Arte Antiga, tem um serviço de mesas jovem, bem disposto e muito atento. Com os devidos cuidados a que a “saison” sanitária obriga, ontem foi reconfortante ver por ali uma casa com razoável número de clientes. 

Porque acho que o património em matéria de diversidade gastronómica é uma riqueza nacional que nos compete preservar, devemos apoiar o esforço que os restaurantes fizeram neste tempo de pandemia e recompensá-los com a nossa frequência.

Ao leitor de Lisboa que não conhece o “Geographia”, recomendo francamente uma visita. E isto é muito sincero, pode crer! Aceito reclamações.

5 comentários:

Luís Lavoura disse...

O Francisco recomenda restaurantes mas sem nunca exibir o menu. Acho isso incorreto. O Francisco deveria mostrar aqui um menu do restaurante, para nós vermos que tipo de pratos servem e a que preços. Para não irmos lá de propósito e depois descobrirmos que não nos serve.

Luís Lavoura disse...

Se é o restaurante mais perto de onde mora, deveria lá ir sempre.
Eu só frequento restaurantes que ficam muito perto de onde moro e para onde posso facilmente deslocar-me a pé. E não tenho falta de escolha.

Francisco Seixas da Costa disse...

O Luís Lavoura deve fazer por entender que cada um é como é. Vou quando me apetece, mostro o que quero mostrar. OK?

SCarvalho disse...

Caro sr. Lavoura, "essas coisas" costumam encontrar-se na internet. Experimente e vai ver que é fácil e é barato, só não dá milhões.

Flor disse...

Engraçado, nunca gostei de almoçar ou jantar perto de casa. Para ver as caras dos vizinhos já me basta quando ando a passear o cãozinho.;)