sexta-feira, 28 de fevereiro de 2020

Risco do coronavirus


Percentagem de risco de morte, por grupo etário, se uma pessoa for infetada.

8 comentários:

alvaro silva disse...

Sem o virus coroado e tão só com os outros virus republicanos, isto é sem coroa, as taxas são similares pelo que isto não passa duma verdade lapalissiana. Concluindo:
Tudo o que é vivo, morre!
Quem de novo não vai de velho não escapa!
Tendo que morrer que não seja com má fama!

Luís Lavoura disse...

Conclusão: tal e qual como a maior parte das gripes, só mata idosos.
(A "gripe espanhola" de 1918-1919 foi especialmente grave porque, ao contrário da maior parte das gripes, matou predominantemente pessoas jovens.)
Entretanto, o problema não é somente a probabilidade de matar, que é baixa (da ordem dos 2% para a totalidade da população), o problema é sobretudo a probabilidade de necessitar de trtamento hospitalar, que é alta (da ordem dos 10%). Ou seja, uma pessoa infetada tem 10% de probabilidade de necessitar de ser ventilada em hospital.

Joaquim de Freitas disse...

Para completar, se o Senhor Embaixador permite, podendo ser util :


Transmissibilidade
Um vírus é declarado transmissível entre os seres humanos quando uma pessoa doente pode infectar outra pessoa não doente. Se o coronavírus Covid-19 (ex-2019-nCoV) não fosse, a epidemia teria morrido por si só assim que o mercado de Wuhan fosse fechado (foi nesta cidade chinesa central que a doença apareceu no final de 2019, as pessoas já não estando em contacto com o animal. vector, que permanece desconhecido até hoje. Hoje a transmissão deste novo coronavírus é adquirida.

Contagiosidade
Este é o número médio de pessoas a que um paciente está em risco de transmitir a doença. Os cientistas referem-no como "R0" (R-zero ou R-nought, também conhecido como "número reprodutivo básico"). Se o R0 for superior a 1, então a doença tende a espalhar-se por si só na ausência de acção.

Para o Covid-19, estima-se que o valor do R0 seja de 2,3 a 2,6. Um paciente contamina, assim, em média, duas pessoas e meia. Os médicos de Hong Kong avançaram mesmo com um intervalo entre 3,3 e 5,5

Para comparação, aqui estão alguns valores R0:

Gripe sazonal: 1.3
SARS (2003-2004): 2-4
Mares (2012): 2-5 (as primeiras estimativas por vezes ainda retidas eram inferiores a 1)
Sarampo: 12-18

A contagiosidade do Covid-19 é, portanto, ligeiramente superior à da gripe, semelhante à da SARS ou dos Mares e muito inferior ao do sarampo.


Virulência

Virulência é a capacidade do vírus multiplicar-se no corpo. Este é o primeiro determinante da gravidade de uma epidemia, que é medida pelo número de casos ou mortes graves.
Para Covid-19, cerca de uma em cada cinco pessoas para as quais a infeção foi confirmada desenvolve sintomas graves. Estima-se que a mortalidade seja de cerca de 2,3% (8% entre os 70 e os 79 anos e 14,8% entre os mais de 80 anos). Foi 9,6% para a SARS e 34% para os Mares.


Em teoria, é suficiente dividir o número de mortes pelo número de casos relatados para estabelecer este número. Mas, na prática, esta estimativa é complexa. Em primeiro lugar, porque não se morre diretamente de uma infeção viral, mas das consequências da falha de um ou mais órgãos que provoca. Isto acontece mais frequentemente porque a pessoa está frágil, idosa ou já doente (diabetes, cirrose, pressão arterial alta ou doença cardíaca coronária).


Período de incubação

Esta é a duração que separa a infeção do início dos primeiros sintomas. Para o Covid-19, parece ser entre 2 e 14 dias, dependendo da pessoa, como para os mares. A questão crucial é se as pessoas infetadas são contagiosas durante este período. Ao contrário da SARS, este parece ser o caso da Covid-19.
Consequência: A doença pode ser transmitida antes que o paciente seja tomado em consideração, o que complica muito o controlo da epidemia.


Conclusão

O cenário temido é o de uma combinação:
Tempo longo e assintomático de incubação (permitiria que a doença se espalhasse despercebida); alta infecciosidade (levaria a uma rápida expansão); alta mortalidade: (mataria um grande número de pessoas).
Para Covid-19, a contagiosidade é relativamente elevada e ocorreria antes do início dos sintomas, mas as mortes dizem principalmente respeito a idosos que já sofrem de problemas de saúde. No entanto, o vírus pode sofrer mutações a qualquer momento e tornar-se mais virulento.

Lúcio Ferro disse...

As bolsas estão a cair. Isto vai ter um efeito calamitoso. Deus queira que me engane.

Anónimo disse...

Chico, Já vamos no grupo dos 8% de risco. Lixado!
Abraço!

Anónimo disse...

Chico, viagens,hotéis, restaurantes,eventos e outros encontros imediatos de primeiro grau....
são inimigo público número 1....!
Vais virar chef de cousine...à la carte...
Salute !

Anónimo disse...

Leãozão, se a "cousine" for boa... por que não?
--
João Patudo
Vila Real

Anónimo disse...

Com as minhas desculpas, onde está a fonte desta estatística?