sábado, 29 de fevereiro de 2020

Capas

O “Expresso” de hoje traz uma manchete que, em tempos idos, o jornalismo de referência denunciaria como alarmista. Estou certo que era isso que faria o “Expresso”.

3 comentários:

Anónimo disse...

Por isso, eu que noutros tempos ia todos os dias à estação da CP esperar que chegassem os vespertinos(D.Lisboa, Popular, República...) e lia-os de princípio ao fim, agora, nem um centimo para jornais!
Às vezes vem alguém dizer-nos que temos que salvar a imprensa, os jornais estão em crise, bla bla bla. Com jornalistas destes? Fundo com eles!

Anónimo disse...

Pior do que o de qualquer título do CM, uma enormidade! A verdade é que tirando dois ou três jornalistas o Expresso também já não tem a qualidade que tinha!

Anónimo disse...

Bom, a própria Ministra da Saúde, de forma completamente irresponsável, també fez umas declarações alarmistas, que aliás contrariam aquilo que o PM dizia e bem que se deveriam evitar alarmismos.
Quanto ao Expresso, só lhe fica mal. E o Expresso há muito que já foi!