25.2.20

José Cutileiro


José Cutileiro escreve como poucos. O seu português de lei, culto e preciso, mas não gongórico, somado a um apurado sentido de observação, de onde ele parte para uma análise fina e percutante, torna a leitura dos seus livros um grande prazer. Acresce que a vida deu a Cutileiro a oportunidade de cruzar terras e gentes muito diversas, sabendo ele extrair disso notas inteligentes e divertidas.

Este seu novo livro, agora editado pela Dom Quixote, é uma colagem de textos curtos, muito diversos entre si, que podem ser digeridos autonomamente, o que transmite uma grande leveza à leitura, estendendo o prazer pelo tempo. Tenho apreciado bastante este “Inventário” e já estou com pena por estar a acabá-lo.

A polémica do dia

Pronto! Com a decisão australiana sobre o tenista sérvio está criado um folhetim com todos os ingredientes: vedetas, política, teorias da co...