terça-feira, 25 de fevereiro de 2020

José Cutileiro


José Cutileiro escreve como poucos. O seu português de lei, culto e preciso, mas não gongórico, somado a um apurado sentido de observação, de onde ele parte para uma análise fina e percutante, torna a leitura dos seus livros um grande prazer. Acresce que a vida deu a Cutileiro a oportunidade de cruzar terras e gentes muito diversas, sabendo ele extrair disso notas inteligentes e divertidas.

Este seu novo livro, agora editado pela Dom Quixote, é uma colagem de textos curtos, muito diversos entre si, que podem ser digeridos autonomamente, o que transmite uma grande leveza à leitura, estendendo o prazer pelo tempo. Tenho apreciado bastante este “Inventário” e já estou com pena por estar a acabá-lo.

2 comentários:

Take Direto disse...

Fiquei com vontade de ler. Obrigado.

Anónimo disse...

Caro Francisco,

É mais um belo livro de uma pessoa muito inteligente que literalmente me conhece desde o dia em que nasci, e dedicado a outra pessoa, a Vera Futscher Pereira, que infelizmente partiu há pouco e que era minha amiga desde os meus dez anos. Faz muita falta.

Um abraço

JPGarcia