quarta-feira, fevereiro 15, 2023

Catarina Martins

 

Quantas vezes o Bloco me irritou! Quantas vezes clamei que, no fundo, ele acabava a fazer o jogo da direita. Em 2011, ao vê-lo mão na mão com essa direita, disse do Bloco cobras e lagartos. Em 2015, quando aderiram à ideia da Geringonça, moderei essa minha irritação. Ela regressaria em 2021, quando o Bloco fez uma birra orçamental, que fez correr um risco desnecessário à esquerda. Mas voltei a moderá-la quando esse percalço político ofereceu ao PS, de bandeja, uma maioria absoluta.

Em todo esse percurso do Bloco esteve Catarina Martins. Uma mulher determinada, que sempre me pareceu sincera e empenhada nas soluções que propunha, estivessem elas certas ou erradas. 

Catarina Martins entendeu agora encerrar o seu ciclo de liderança, primeiro num dueto que deu ares de harmónico com João Semedo, depois a solo. Desejo-lhe as maiores felicidades pessoais.

4 comentários:

Luís Lavoura disse...

Desejo-lhe as maiores felicidades pessoais.

De que forma irá ela agora ganhar a vida? Como atriz não será fácil...

João Cabral disse...

Sincera e empenhada em soluções, senhor embaixador? Já vi chamar muita coisa ao populismo e à demagogia.

Unknown disse...

Catarina Martins, Jerónimo de Sousa e António Costa foram os "coveiros" da recuperação encetada por Passos Coelho, como agora se está a ver e a sentir. E não se sente mais porque os dinheiros do PPR vão ajudar a disfarçar. Portanto, não vou ter saudades da senhora, sem embargo de a considerar uma pessoa genuína, sincera e de bons sentimentos. Para o lugar dela vai agora outra "coveira", mais responsável ainda do que a anterior.

Anónimo disse...

Fernando Neves
O Bloco foi o responsável pela ida para o poder da troika que aplicou a receita errada, como reconeceu um dos seus membros e acabou com o capitalismo português coisa que obviamente na perspectiva de um funcionário do fmi ou da comissão não faz sentido nenhum. Foi o governo que mais nos prejudicou e não conseguiu uma única vez cumplrir os objectivos por eles próprios estabelecidos.
Fico feliz por aCM se ir embora porque não suportava mais os disparates que dizia e sobretudo a voz com que os dizia

Que Praga!

Ainda bem que o jogo acabou. Estava farto de ouvir chamar Chéquia à República Checa.