sexta-feira, janeiro 06, 2023

Cada um é para o que nasce

Há jornais para tudo: o Diário da República nomeia; o Correio da Manhã demite...

6 comentários:

Anónimo disse...

E ainda bem que há algum meio de comunicação atento a mais assuntos que não sejam as chuvas no país. Preferia que não fosse o Correio da Manhã a desempenhar este papel de investigação mas se é quem está na linha da frente, pois seja!
(E pensar nestes anos todos de trafulhices que não foram descobertas porque ninguém divulgou.....)

Gabriela Menezes

João Cabral disse...

E os chamados jornais de referência a dormir, essa é que é essa.

José disse...

A culpa é do mensageiro. Se não fosse aquela gente malvada, ninguém sabia de nada e éramos todos mais felizes. E ainda há quem goste do 25A!

manuel campos disse...


Nunca comprei um exemplar do CM nem sequer alguma vez o folheei mas neste momento estou-lhe agradecido.
Quando ouço alguém, para supostamente se defender, responder a jornalistas algo do género que "aparece dinheiro de proveniências diversas" nas contas de toda gente "passo-me".
Só se fòr nas dele e de alguns conhecidos dele, nas minhas nunca apareceu desde o longínquo 1970 até hoje um único centavo ou cêntimo que não tenha um suporte legal por detrás.
Esta gente anda a gozar com os outros, só pode.

As pessoas que vivem na "bolha" não fazem a mínima ideia do que pensa o desgraçado na fila do autocarro mas eu sei, também lá estou com frequência, dois carros a sério na garagem nunca me afastaram "da rua", há anos "ofereci-me" junto de um alto funcionário meu amigo para fazer um "aperçu" devidamente fundamentado da minha percepção "da rua" junto de quem de direito num encontro qualquer, como que fortuito, respondeu-me que era perda de tempo, não ía ser ouvido por ninguém dentro da "bolha".
Dentro de alguns anos, como já escrevi aqui, o eleitorado actual do PS irá desaparecendo por velhice ou caquétice e não estou nada certo do que lhe irá suceder, mesmo nada.
Ainda hoje um amigo meu, insuspeito politicamente, me telefonou e a primeira coisa que me perguntou foi "Já te demitiste?".
Isto vindo de alguém que sempre votou PS e vai passar a votar em branco.
Eu estou na mesma.
Que o PS se está borrifando para os nossos dois votos eu sei.
Que nós não o estamos e nunca estaremos é que nos interessa.

manuel campos disse...


A série “Yes Minister” tem 21 episódios e a série “Yes, Prime Minister” tem 16 episódios, todos com cerca de meia hora, produzidos entre 1980 e 1988.
Pelo meio (1984) há um episódio especial de Natal de uma hora, que faz a ligação entre o Jim Hacker Ministro e o Jim Hacker Primeiro-Ministro.
Tenho os 3 DVD com os primeiros 21 episódios, o DVD isolado do meio e os 4 DVD com os segundos 16 episódios.
Tenho-os visto periodicamente ao longo dos anos, 2 ou 3 por dia conforme o humor, uns 10 por semana, todos ao fim de um mês, sob a influência do que se foi passando com os nossos vários governos.
Acho que está na altura de os recomeçar a rever.

PS- Uma gracinha de Natal foi emitida também ali no meio mas só tem 2 minutos e só se encontra no Youtube, fica aqui Sir Humphrey Appleby no seu melhor:
https://www.youtube.com/watch?v=xW7EL3_xL9s

Anónimo disse...

Felizmente a comunicação social acordou para a nossa triste realidade nacional. Infelizmente é esta a realidade deste governo é deste país!!!

Carlos Antunes

Há uns anos, escrevi por aqui mais ou menos isto: "Guardo (...) um almoço magnífico com o Carlos Antunes, organizado pelo António Dias,...