terça-feira, janeiro 31, 2023

Brexit - três anos depois


Comentário, esta tarde, na CNN Portugal. Pode ver aqui.

2 comentários:

carlos cardoso disse...

Dizer que a saída do Reino Unido da União europeia foi decidida pelo voto da população britânica, embora formalmente correcto, é um pouco enganador: quase três quartos dos britânicos não votaram a favor do Brexit. Un pouco mais de 17 milhões votaram a favor da saída, o que representou 51% dos votos expressos. Mas esses votantes eram só 37% dos eleitores inscritos e apenas 26% da população britânica.

Tratando-se de uma questão tão importante, o primeiro ministro da altura tinha por certo legitimidade para declarar o resultado do referendo inconclusivo e decidir que o Reino Unido permanecesse na União europeia. Claro que teria sido muito mais inteligente ter definido antes do referendo que a saída só aconteceria se, por exemplo, a maioria dos eleitores - e não dos votos válidos- assim o decidisse.

É mais um caso que me faz desconfiar dos referendos, ainda mais se forem à escala nacional e sobre questões que são complicadas para a enorme maioria dos eleitores.

José disse...

Carlos Cardoso, se isso que escreve é verdade, ainda mais verdade é o contrário:

Mais de 63% dos eleitores inscritos não se pronunciaram contra o Brexit.
Mais de 74% da população britânica não rejeitou o Brexit.

Como quem cala consente e as criancinhas não têm voz, parece-me que estamos, apenas, a brincar com números.

Já agora, não sei se cães e gatos também devia ser chamados às estatísticas mas, geralmente, eles seguem o dono.

Eventualmente, a sua desconfiança relativamente aos referendos resolvia-se com uma obrigatoriedade de voto.

Da próxima vez que os britânicos forem confrontados com um referendo sobre uma questão vital, que saiam de casa e lutem pelas suas ideias votando!

Carlos Antunes

Há uns anos, escrevi por aqui mais ou menos isto: "Guardo (...) um almoço magnífico com o Carlos Antunes, organizado pelo António Dias,...