terça-feira, 13 de abril de 2021

Desconfiamento

Por que será que, por esta altura deste novo desconfinamento, não consigo dizer, com um mínimo de convicção, nem sequer intimamente, que “vai ficar tudo bem”? Acho que entrei na fase do “desconfiamento”.

5 comentários:

Lúcio Ferro disse...

Senhor Embaixador, a situação é muito complexa. A sociedade e a economia estão de rastos. Eu estou de rastos e sou um indivíduo com recursos e com estofo, já mordi muitas balas. A vacinação tem de avançar e, tem de avançar à séria. Se formos obrigados a confinar outra vez, teremos problemas muito sérios.

Luís Lavoura disse...

Vai ficar tudo bem porque o Francisco, dada a idade que tem, em breve será vacinado, tal como as outras pessoas mais suscetíveis à doença, pelo que o aumento da propagação do vírus poderá ser desconsiderado, dado que esse vírus deixará de provocar doença grave (continuará a provocar doença ligeira, mas isso é um problema de somenos).

Luís Lavoura disse...

Lúcio Ferro,

ouvi hoje a ministra da Saúde a dizer que Portugal está a aplicar em média cem mil vacinas por dia. A esse ritmo, e tendo em conta que uma pessoa requer duas doses para ficar completamente vacinada, em dois meses Portugal terá 30% da população vacinada, que é como quem diz, toda a população com saúde frágil estará vacinada no fim de maio. Portanto, sim, se o governo fôr racional e souber fazer contas, não há qualquer razão para parar (muito menos retroceder) o desconfinamento.

Infelizmente, se a ministra da Saúde me parece uma pessoa racional e capaz de raciocinar friamente, tenho muitas dúvidas que o primeiro-ministro e os restantes ministros esteja, à altura dela.

Faço notar que Portugal tem atualmente 130 pessoas em cuidados intensivos e 5 mortos diários com covid-19. São números absolutamente despiciendos (a média de mortes em Portugal nesta época do ano é de 250 pessoas por dia). Só um maluco se assustará com a covid-19 nestas condições e parará o desconfinamento.

Paula Cabral disse...

Ditado actualizado: Em Abril esplanadas mil, em Maio nem sequer saio.

Jaime Santos disse...

Luís Lavoura, será o ritmo de crescimento das infeções nos próximos tempos que ditará o processo de desconfinamento, nada mais. Essa é que é a atitude racional. O resto é wishful thinking...