terça-feira, 16 de julho de 2019

Circuitos


Durante uma longa reunião que teve lugar em Genebra, nos anos 80, eu costumava alugar um carro, aos fins de semana, para passear pela Suíça. Num deles, convidei três colegas da delegação para um passeio mais curto, fora da cidade.

Íamos no caminho entre Genebra e Nyon, à borda do lago, quando a conversa derivou para o trajeto sinuoso da estrada em que rodávamos, através de localidades. Certas partes do percurso eram mesmo bastante perigosas, comentávamos entre nós. Foi então que um dos membros do grupo se saiu com esta: "E, no entanto, faz-se aqui uma prova automobilística de grande importância...".

Nenhum dos comparsas de viagem fazia a menor ideia de que havia uma prova automobilística que passava por ali, pelo que pensámos que o nosso interlocutor se estaria a referir a algum rally. E, claro, pretendemos ser esclarecidos sobre o evento a que se referia.

O nosso homem - porque era um homem... - assumiu então um tom de connaisseur e, com ar de quem nos ia esmagar com a humilhante exposição do nosso tão óbvio desconhecimento, avançou: "Então vocês não sabem que passam por aqui as “24 horas de Le Mans” “?

Um ou dois segundos, para "digestão" mental da revelação, mediaram entre a frase e o coro de gargalhadas dos restantes viajantes. O lago à volta do qual passeávamos era o lago Léman, mas o nosso interlocutor estava plenamente convencido que era nas estradas à volta desse lago que se disputavam as "24 horas de Le Mans". Ora Le Mans é uma localidade francesa a sudoeste de Paris...

Até ao final da viagem, o nosso homem embatucou. Que será feito dele?

6 comentários:

Anónimo disse...

Estou de queixo caído : então são pessoas dessas que participam nas reuniões em Genebra e outras que tal ? É por que confundir Lèman com Le Mans é duma falta de cultura incrível , mesmo que não se interesse por corridas de automóveis , basta ler jornais !!!

Francisco Seixas da Costa disse...

O anónimo das 10.12 deve ler bem. Não são “pessoas dessas” que participam. Foi UMA pessoa dessas, só uma, e, por isso, mereceu destaque.

Anónimo disse...

As minhas desculpas por ter generalizado , de facto uma pessoa só , faz a excepção e mais nada .
Sorry mais uma vez . Temos de “ arrefecer “ a cabeça e pensar antes de escrever o que quer que seja .

Anónimo disse...

Eu li bem!
Também li bem, muitas outras vezes, algumas por aqui.

Também assisto, com frequência.

Chegar a funções de "destaque", não é sinónimo de cultura geral, em particular...

dor em baixa disse...

Lembrou-me aquela gaffe de Maria Elisa que pensava que o Festival de Bayreuth era em Beirute.

Joaquim de Freitas disse...

Mas se existem "coisas" dessas ao nivel superior do Estado, porque nao haveria nos niveis intermediàrios?