quarta-feira, 16 de janeiro de 2019

Armando Vara


A justiça portuguesa concluiu que Armando Vara cometeu vários crimes de tráfico de influências. Todas as instâncias judiciais foram unânimes, pelo que a decisão, além de inapelável, tem uma legitimidade irrecusável. Armando Vara continua a dizer-se inocente, alguns acham que a pena que lhe foi determinada pode ser algo desproporcionada, mas é óbvio que isso agora é irrelevante, atenta a unanimidade da justiça.

A nossa justiça não tinha sido, até agora, muito eficaz em matéria de crimes de "colarinho branco". Mais do que isso, o crime de tráfico de influências, que surge muito ligado à corrupção, tinha sempre passado "por entre os pingos da chuva", talvez por ter como "primo" distante a "cunha", esse arraigado hábito lusitano (e não só). Ver este tipo de crimes começar a ser punido significa um claro avanço social, um salto de modernidade e de transparência pública com que todos nos devemos congratular - todos aqueles que lutam por uma sociedade mais decente.

Armando Vara vai agora preso. É perfeitamente natural que as pessoas fiquem satisfeitas com a circunstância da justiça se ir cumprir. Mas percebo bastante menos o gozo alarve que se prende ao sentido de humilhação pessoal que se quer somar a este facto. Como se não bastasse Armando Vara ir pagar pelos crimes que cometeu, a alguns parece importante objetivar nele uma espécie de vindicta social. O que se lê por estes dias nas redes sociais e em alguma "imprensa" prova que, mais do que sentido de justiça, alguns setores da nossa sociedade vivem marcados pelo desejo de vingança - esse que é um sentimento mesquinho, típico da mediocridade humana.

8 comentários:

Anónimo disse...

Discordo. Enquanto cidadão tenho o direito a ter o gosto da vingança. Aliás, a pena imposta pelo Estado não é mais do que uma vingança. Todo o castigo o é.

Era só o que faltava que os cidadãos enganados, roubados, preteridos, cujas vidas são direta ou indiretamente prejudicadas pelas manigãncias de corruptos, ladrões e demais fauna ainda tivessem que, perante a pena dos culpados, comportarem-se com um cavalheiresco e frio desportivismo. Eventualmente dizendo um "Melhor sorte da próxima vez, meu caro"...

Cinco anos de prisão? Agora oferece-se para trabalhar na biblioteca, passa dois anos com um comportamento irrepreensível, ensina a ler e escrever a dois bimbos que lá encontre (se puder lidar com a gentalha) e lá sai em condicional. Depois, dedica-se a escrever um livro sobre a injustiça de que foi alvo e talvez ainda encontre guarida num programa de TV.

E todos lhe sorrirão porque "pagou a sua dívida" e é um homem de bem. Afinal de contas, não houve morte de homem!

Ora bolas!!!

vitor disse...

Em primeiro lugar mais uma vez a acusação não deixou de ser muito poucochinha depois de tudo o que se leu no pasquim do costume. Com os recursos já habituais infelizmente. Como também não deixa de ser curioso que a primeira condenação por tráfico de influência em Portugal resulte logo em prisão efectiva?! Sobretudo se atendermos que o Ministro sobre o qual foi exercido o tráfico de influência nem sequer foi ouvido em Tribunal... Pior só mesmo os submarinos. Com corruptores activos que pelos vistos não corromperam ninguém. Eu chamava-lhe política baixinha. Talvez daqui as vendettas. Digo eu. Uma coisa é certa, não concordo nada com o diagnóstico de saúde na Justiça. Muito pelo contrário. Ou será que não ouvimos todos ainda há dias que outro juíz já achou aceitável o tráfico de influência de outro Ministro sobre o Jarmela Palos?

Nelinha Borges (youtube) disse...

Ahhhh putugal, putugal, putugal! Sempre, sempre, sempre chorando e chorando e chorando e chorando por tudo, sempre! Tudo mundo sabe que putugal e o pior merda no mundo, tudos! E mais na palavra "luso' e uma invencao! Tudo nossa historia e fenotipo e Cigano e Arabe. Nao somos lusos. E mais, e melhor que tudo putugal sei uma provincia do Espanha e pronto!

E nao trabalhos, sempre ficar nas sopas dos pobres tudos dias. Putugal e em estado do merda e nao fix. E verdade e verdade amigos. Esperamos que um tipo de mudança positiva aconteça em Putugal, pois mais de 50% da população, por necessidade, tem que ir às sopas dos pobres para comer. E também, uma melhora no crescimento dos empregos, já que eles estão no país. Por esta razão, muitas pessoas já vão para suas ex-colônias para buscar uma vida melhor e não retornam. Putugal está realmente atolado na merda e ninguém quer fazer nada sobre o assunto. Eles preferem viver em mentiras, o que é isso?

Que opina amigos?

Anónimo disse...

FSC continua a dar guarida a um louco lusófobo. Até quando? Não terá FSC noção do ridículo?
Para patriota não está mal...

Francisco de Sousa Rodrigues disse...

A justeza da afirmação do Sr. Embaixador sobre a vingança é corroborada pelo comentário do das 13h04.
A mesquinhez de bater nos caídos é algo absolutamente abjeto, o que consola é que discursos moralistas deste género normalmente têm um nome - hipocrisia.

E sim, se tivesse havido morte de Homem seria muito mais grave!





Anónimo disse...

Seguir-se-ão Sócrates, Cavaco Silva, Dias Loureiro (BPN) , Paulo Portas (Submarinos), Passos Coelho (Tecnoforma), etc e tal?
Esta nossa Justiça é um embaraço! Ainda ontem ouvi dois ilustres advogados (meus colegas) num canal de televisão, que escalpelizaram e bem os podres desta Justiça. Que não foi objecto de abordagem daquele encontro anual como é a abertura do Ano Jucial.

Anónimo disse...

É uma vítima (já se percebe por alguns comentários)!

NG disse...

5 anos de prisão não são 5 dias. Para que exista algum benefício público com o seu exemplo é preciso que a decisão seja bem fundamentada e que existam evidências inequívocas da prática de crime grave. Se alguém souber onde estão que as mostre. Na sua falta, sobra a suspeita de uma justiça politizada.