terça-feira, 1 de janeiro de 2019

2019

Creio que não é costume assumir-se isto, pode até parecer excesso de modéstia, mas devo dizer que, no que me toca, não vivo angustiado a que este ano venha a ser melhor do que 2018. Se for igual, já ficarei satisfeito. Se for melhor, melhor.

1 comentário:

Anónimo disse...


Ora essa, sr. Embaixador. Para as pessoas com o seu estatuto não há crise que chegue … Pudessem dizer o mesmo os outros 80% (ou mais) de portugueses. Olhe, para não ir mais longe, eu, por exemplo. Esta é tendencialmente a sociedade dos 1%...Neste quadro, indesejável, é melhor estar nos 1%. Mas há alternativas, melhores, justas, sr. Embaixador. É imperioso que elas venham antes que caminhemos,
na 2ª fase, para o holocausto atómico.

João Pedro