sexta-feira, 4 de janeiro de 2019

Acordem!

A revista “Sábado” anunciou ontem que decidiu passar a utilizar o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa, tal como a sua concorrente “Visão” já vinha a fazer há muito. Também o Jornal de Negócios, a Máxima e a TV Guia irão adotar essa grafia.

Perante o mar de publicações que hoje já seguem a mesma prática, o jornal “Público” mantém-se como o exemplo mais notório de “resistência”, uma espécie de “aldeia de Asterix”.

Isto passa-se num país com um ensino público onde o Acordo já é obrigatório, tal como nas instituições e diplomas oficiais.

Percebo e respeito que haja quem não goste e continue a rejeitar utilizar o AO. Está no seu pleno direito, embora seja triste ver alguns a insultar quem segue a nova grafia, adjetivada depreciativamente num evidente ato de desespero.

Com toda a simpatia que essas pessoas me merecem, espero que tenham percebido que estão a disputar uma guerra que já está perdida.

Os acordos em torno de uma forma de ortografia destinam-se essencialmente às gerações seguintes, sendo, em geral, rejeitados por aquela que lhe é contemporânea - naturalmente avessa a fazer o esforço para mudar a forma como escreve. Foi sempre assim e assim será neste caso.

E, agora, “fogo à peça”...

13 comentários:

João Cabral disse...

Aldeia de Asterix diz o senhor embaixador? Vejamos os órgãos de comunicação social que não aplicam o AO90:

— Público
— Rádio Comercial
— Time Out Lisboa
— Time Out Porto
— Diário de Notícias Madeira [www.dnoticias.pt]
— National Geographic Portugal
— Jornal “Sporting”
— Sporting TV
— CANAL Q
— Playboy Portugal
— Meios & Publicidade
— Inimigo Público
— Le Monde Diplomatique - ed. portuguesa
— Revista Happy Woman
— LOUD!
— Granta em Língua Portuguesa
— Revista Marketeer
— Revista Egoísta
— Arte Sonora
— Revista "Ultraje"
— PCGuia
— Shifter
— O Diabo
— Rádio Oxigénio
— RADAR
— Executive Digest
— VICE Portugal
— Jornal Tornado
— Forbes Portugal
— Revista MotoJornal
— Revista de Vinhos PT
— Diário Imobiliário
— Revista Cargo
— Revista "XXI, Ter Opinião" (Fundação Francisco Manuel dos Santos)
— Revista "Caliban"
— Jornal "Avante!" (Partido Comunista Português)
— Jornal "Luta Popular" (PCTP/MRPP)
— Jornal "Ruptura" (Movimento Alternativa Socialista – MAS)
— Revista "Nova Águia"
— O Mirante
— Diário de Aveiro
— Diário de Coimbra
— Grupo Santiago
— Correio do Minho
— Correio Alentejo
— Jornal de Leiria
— RUM - Rádio Universitária do Minho
— Correio do Ribatejo
— Diário de Viseu
— Jornal de Barcelos
— Revista Mais Alentejo
— Diário de Leiria
— Jornal "AbrilAbril"
— Jornal "Figueira na Hora"
— A Guarda Jornal
— Jornal Alto Alentejo
— Diário dos Açores
— Jornal de Sintra
— Rádio Pax
— Notícias de Ourém
— Pombal Jornal
— Gazeta das Caldas
— Jornal "Linhas de Elvas"
— O Setubalense
— Notícias de Vouzela
— Correio dos Açores
— Jornal de Mafra
— Jornal "Terras de Sicó"
— Jornal "O Riachense"
— Jornal AuriNegra
— Jornal "Campeão das Províncias"
— Rádio Voz da Planície
— Jornal Terras da Beira
— Portal Elvasnews
— Gazeta Setubalense
— Jornal "Soberania do Povo" (Águeda)
— Diário da Região de Setúbal
— Jornal "O Comércio de Alcântara"
— Jornal "O Amarense"
— Revista "Seara Nova"
— Azul – Ericeira Mag
— Jornal "Notícias de Almeirim"
— Correio da Beira Serra
— Jornal "Alto Minho"
— Jornal "Cardeal Saraiva"
— Jornal das Cortes
— Jornal "Roda Viva"
— Jornal da Economia do Mar
— Revista Saúda (Associação Nacional das Farmácias)
— Revista "Jornalismo & Jornalistas" (Clube de Jornalistas)
— Agricultura e Mar
— Revista "Smart Cities – Cidades Sustentáveis"
— RUNning Magazine
— Jornal "O Gaiato"
— Revista "Áudio & Cinema em Casa"
— Revista "Wilder"
— Revista "Descla"
— Revista "TREVL – de moto pelo mundo"
— Revista Intro
— Revista "SHOPPING – Centros Comerciais em Revista" (Associação Portuguesa de Centros Comerciais)
— etc.

E vejamos como escreve o senhor embaixador ao abrigo do dito: https://www.facebook.com/TradutoresContraAO90/photos/a.645077242260614/1517131151721881/

E desde quando a oposição ao AO90 é por aversão ao esforço da mudança? Com tanto escrito de índole científica e técnica à distância de um clique, ainda se insiste nesse pífio argumento?
Caso para dizer: acorde para a vida, senhor embaixador!

Luís Lavoura disse...

Os acordos em torno de uma forma de ortografia destinam-se essencialmente às gerações seguintes

Isso não é verdade. Em 1973 houve uma mudança de ortografia que foi pacificamente acatada com pouca resistência. Na Alemanha houve recentemente uma mudança ortográfica que também levantou polémica, mas que acabou acatada passados poucos anos.

Uma mudança ortográfica demora talvez uns dez anos a impôr-se. Não "gerações".

Francisco Seixas da Costa disse...

O comentador das 5:59 deu-me uma ajuda preciosa, ao sublinhar a quase completa irrelevância do leque de publicações que não seguem o Acordo Ortográfico. Com exceção do Público, claro.

Anónimo disse...

Concordo consigo. Mas olhe que o gaulês continua a levar acento (Astérix)

https://www.asterix.com/


Agora, o que é mesmo importante, hoje em dia, é acabar com essa praga do "contato"!!!

Anónimo disse...

No MNE, há muito Embaixador que não segue, na sua telegrafia para a Secretaria de Estado, o dito Acordo Ortográfico.
Com Angola a demarcar-se e o Brasil a não o praticar, basta ver quer a documentação oficial (Itamrati, por exemplo), bem como os principais jornais nacionais, para se perceber que um dia o dito A. O terá de ser revisto, melhorado, actualzado e deste modo, deixado cair, tal como foi (imbecilmente) concebido.

Anónimo disse...

V.Exa. está a dizer que a Playboy e a Egoísta não têm relevância?!

Jose Correia disse...

Haja paciência....!!!!!

João Cabral disse...

Ah claro, senhor embaixador, argumento previsível o de as publicações referidas não terem relevância... Também o jornal e o canal do seu Sporting?
E já me esquecia de que Angola e Moçambique não aplicam o dito porque não o ratificaram. Na verdade, só Brasil, Portugal e Cabo Verde o fazem efectivamente. Não nos vai dizer que os outros países não têm relevância, pois não? É que isso vindo de um diplomata... E não nos esqueçamos do que já afirmou: «A polémica em torno do Acordo Ortográfico é outro factor de um certo desprestígio para a CPLP.»
Acorde para a realidade, senhor embaixador.

Anónimo disse...

O que me espanta é alguém inteligente, como o Seixas, alinhar numa alarvidade ortográfica deste tipo, sem qualquer rigor linguístico-científico. É certo que, ao tempo da sua "adopção" (do A.O) o Seixas ainda estava no "activo" do MNE, se a memória não me falha. E depois, sendo uma daquelas decisões do Sócrates, na A.R, sabe-se lá para contentar quem (embora remontem ao tempo dessa triste figura da Direita que dá pelo nome de PSL- Aliança), que você, Seixas, simpatize - e ninguém tem nada a ver com isso (os ditos PEC's até teriam sido melhores do que a porcaria que nos veio a cair em cima, com aquele dupla infernal da Direita Radicalíssima neo.liberal, de Passos/Portas) com semelhante causa! Desde os meses deixarem de ser escritos em letra maiúscula (a título d quê?, para além de umas tantas parvoíces linguísticas, que, vá lá, oh Seixas, reconheça isso, não fazem sentido nenhum! Compreendo que sendo uma medida do PS (Sócrates) e sendo o Seixas um socialista, que não queira negar aquela ideia. Mas, faz sentido? Não faz! Pode é mehorar-se o "rascunho" mal feito que se fez aprovar na A.R. Meu caro, ainda recentemente regtressei do Brasil e digo-lhe, muito francamente, ninguém sabe, nem quer saber do A.O! E muito menos o Bolsonaro, pode crer! Sabe, somos um povo de tolos. Aprovamos disparates e depois é difícil livrarmo-nos do "guardanapo"! Mas, com perseverança, a coisa consgue-se. Haja esperança!
Patético!

arber disse...

Por acaso é muito engraçado ver as atas/actas das reuniões da CPLP, conforme a nacionalidade do respectivo secretário!

E também gostaria de ver a reacção de alguns brasileiros ao chegarem à Recepção de um hotel português: devem fartar-se de rir ao verem escrito "Receção"!

O que não tem graça nenhuma, de facto, é terem pretendido "uniformizar" a ortografia e verem-se exceções/excepções desta natureza.

Anónimo disse...

A Playboy é - sim -, uma publicação com relevância. Mais, é uma revista que se dedica à saudável exibição de relevos. Pena é que não tenha edição em 3D - não por mim mas por causa dos cegos que assim são discriminados e impedidos de aceder aos conteúdos. Quanto ao AO, que se lixe o Braille, bastava a orografia!


E viva o AO!
E abaixo os velhos do Restelo!
E abaixo todas as pessoas que tanto se esforçavam já por escrever mal e têm agora de aprender novas regras para não cumprir!

Carlos Kessel disse...

Esclarecendo a situação brasileira: jornais, revistas, agências de propaganda e editoras respeitam a nova ortografia. No caso dos documentos oficiais, desde 2008. Isto inclui, obviamente, o Itamaraty. Posso garantir: sou diplomata.

E sobre a (plena) aplicação do AO90 no Brasil, fica aqui o link para o artigo escrito pelo então Embaixador do Brasil em Lisboa, Mário Vilalva, publicado no "Público" em 2016.

https://www.publico.pt/2016/02/09/culturaipsilon/opiniao/o-brasil-e-o-acordo-ortografico-da-lingua-portuguesa-1722770

Carlos Kessel

Carlos Kessel disse...

Esclarecendo a situação brasileira: jornais, revistas, agências de propaganda e editoras respeitam a nova ortografia. No caso dos documentos oficiais, desde 2008. Isto inclui, obviamente, o Itamaraty. Posso garantir: sou diplomata.

E sobre a (plena) aplicação do AO90 no Brasil, fica aqui o link para o artigo escrito pelo então Embaixador do Brasil em Lisboa, Mário Vilalva, publicado no "Público" em 2016.

https://www.publico.pt/2016/02/09/culturaipsilon/opiniao/o-brasil-e-o-acordo-ortografico-da-lingua-portuguesa-1722770

Carlos Kessel