segunda-feira, maio 27, 2024

A fronteira moral

O que se passa em Gaza, com campos de refugiados bombardeados e mais algumas dezenas de civis mortos, começa a estabelecer uma fronteira moral pelo mundo: entre quem não aceita isto e quem, contra toda a evidência, não se escandaliza e acaba sempre por ficar do lado de Israel.

4 comentários:

Anónimo disse...

Ainda hoje li uma notícia que refere que Israel bombardeou uma zona de deslocados em Rafah, fazendo mais de 40 mortos (civis, claro). Israel é hoje, sem sombra de qualquer dúvida, um Estado Terrorista. Mas, o sacrossanto hipócrita Ocidente mantêm a sua cínica distância perante o genocídio que Israel vem praticando. Mais, EUA, RU, FRA, ALE e outros países ocidentais continuam a vender material bélico para Israel. E não se vê uma condenação política, aplicação de sanções, etc contra Israel, sobretudo na parte da UE, EUA e restantes países Ocidentais. Tudo isto é abominável. Sinceramente, tenho vergonha de pertencer a este cínico e hipócrita Ocidente.
a) P. Rufino

Anónimo disse...

E entre aqueles que não se escandalizam estão os que dizem que "vocês agora é que começaram" ou que agora "ainda não é o momento de reconhecer o Estado Palestiniano".

Unknown disse...

Primeiro, é preciso fazer parar a guerra. Só depois se pode reconhecer o Estado Palestiniano. Doutro modo, parece que se está a beneficiar o infractor. Não podemos esquecer como é que a guerra começou.

Nuno Figueiredo disse...

Sykes-Picot.

Que Praga!

Ainda bem que o jogo acabou. Estava farto de ouvir chamar Chéquia à República Checa.