terça-feira, 11 de junho de 2019

Ruben de Carvalho


Era uma força da natureza. Culto, interessado por tudo, tinha uma vivacidade e um permanente gosto pela modernidade das coisas. Militante do PCP, foi, por muitos anos, nesse partido, a alma da Festa do Avante. Nos dias de hoje, no Comité Central, era o único dos seus membros que tinha estado nas prisões da ditadura.

Conheci-o em 1973, num debate no Centro Nacional de Cultura, sobre umas recentes eleições em França. Depois, foram os almoços estivais em casa de Bartolomeu Cid dos Santos que nos voltaram a juntar. Com o Jaime Nogueira Pinto, protagonizou um improvável mas muito interessante programa de debate na RDP.

Com ele, sai agora de cena um certo PCP. Quem o conheceu sabe o que quero dizer com isto.

8 comentários:

Anónimo disse...

Um figura política de excelência. Homem culto, afável, ponderado e com uma personalidade cativante. E tolerante politicamente. Gostava de ouvi-lo naquelas conversas na TSF com Jaime Nogueira Pinto. Um programa que, sem ele, doravante já não poderá ser reproduzido. Ruben de Carvalho deixar-nos-à saudades. Muitas. Sinto bastante o seu desaparecimento. Fazem falta pessoas como ele, neste país.

Maria disse...

Conheci Ruben no meu primeiro "almoco estival" em Sintra em 1983. De uma imediata empatia nasceu uma grande amizade ao longo dos anos. Nao me recordo se a Madalena estava presente nesse meu almoco iniciatico. Recordo que a Mae do Ruben estava, como esteve em varios.

Ha coincidencias muito estranhas. Faz hoje 11 anos estava com a familia e muitos amigos no cemiterio de Golders Green no funeral do Bartolomeu.

Daqui envio um grande abraco a Madalena.

Ate sempre Amigo

Fernanda

Janus disse...

Lá se foi um dos melhores programas de discussão de ideias(e não só) da rádio!
Aquala horinha aos sábados era,quase, sagrada...

Janus disse...

Havia também um delicioso programa na antena 1, sobre musica popular americana(!), que era uma maravilha.
O lado desconhecido fez uma excelente aquisição...

Helena Sacadura Cabral disse...

Julgo que tem razão!

Luís dos Santos Ferro disse...

Francisco Amigo,
Justamente, conheci-o nos inesquecíveis almoços sintrenses em casa do Bartolomeu, inesquecível também...
Logo soube remeti a notícia para a Fernanda, londrina.
Era na música que estimava 'encontra-lo'!
Caloroso triste abraço,
L.
(Luís dos Santos Ferro)

vitor disse...

Já com implicações para a geringonça?

Luís Lavoura disse...

Muito lamento a perda do programa "Radicais livres" na Antena 1.