segunda-feira, 10 de junho de 2019

A RTP e o futebol português


Muitos portugueses pelo mundo, que se habituaram a ver a RTP Internacional, mostraram-se ontem bem frustrados por não terem podido assistir à vitória de Portugal sobre a Holanda, na final da Liga das Nações. Esta queixa é, aliás, recorrente noutras competições internacionais transmitidas pela RTP.

Fui tentar saber o que se passou.

Nos grandes campeonatos, negociados pela UEFA/FIFA, cada país só consegue adquirir os chamados direitos territoriais (para o seu território geográfico), e isto acontece com os Mundiais, os Europeus e, agora, a Liga das Nações.

É a própria UEFA (FIFA, no caso do Mundial) que vende diretamente estes jogos para os territórios internacionais (EUA, Ásia, África), não permitindo aos canais internacionais dos operadores europeus transmitirem estes jogos, aliás obrigando a fazerem o “geo blocking”, ou seja colocar outro conteúdo nessa emissão ou colocar uma nota a dizer que não existem direitos de transmissão. Todos os outros operadores internacionais, aliás, têm o mesmo problema, como se perceberá se os tentarmos sintonizar nessa altura. Se acaso a RTP procedesse de forma diferente, teria de arcar con muitas milionárias.

A RTP sabe bem que esta é uma frustração para os portugueses que vivem pelo mundo, mas a solução não está, de todo, na sua mão, nem aliás, como referido, de nenhum outro operador europeu, quando se trata de grandes competições organizadas pela UEFA/FIFA.

É esta a explicação. É pena, mas é assim!

1 comentário:

Luís Lavoura disse...

É natural.
Não faltava mais nada se, para ver um jogo que está vendido a uma operadora que se paga, bastasse sintonizar um canal internacional gratuito.