terça-feira, 31 de março de 2020

Petiscos em casa


Sempre houve louváveis exceções, mas a tendência maioritária da vida empresarial moderna é de que as refeições de trabalho sejam, quase sempre, para além do já quase inevitável “peixinho” dietético, coisas a caminhar para um sinistro mundo de “herbívoros” - sem vinho, sem açúcar, sem café, numa palavra, sem um mínimo de graça.

Numa empresa onde presto consultoria, dei-me um dia conta de que os almoços de trabalho eram sempre um “happening” de coisas bem saborosas, criativas, com gosto, regadas com álcoois interessantes. E, nem por isso, trabalhávamos menos.

Perguntei o nome de quem fazia aqueles petiscos: Marta Bártolo. Era uma arquiteta convertida em “chefe”, que não só serve refeições nas casas como dispõe de um espaço bem interessante, passível de aluguer, na rua dos Navegantes.

Passámos a ser clientes da Marta. E continuamos a sê-lo, mesmo depois do início da crise. Por estes dias, ela fez-nos já algumas refeições, trazendo-as a casa, com uma qualidade que muito nos atenua a solidão do confinamento. Seguramente que, em semanas futuras, pelo meio de outras experiências de “take away”, a ela recorreremos de novo.

Só por aqui faço publicidade àquilo que acho que merece. E a cozinha da Marta Bártolo merece-o bem. Consultem o seu site (www.amesacommartabartolo.com) ou telefonem-lhe (965080839). Ao contrário de outros fornecedores de refeições, ela serve em toda a Lisboa, mas também Cascais, Sintra e Praia Grande. Posso garantir que não se arrependerão!

Não devemos dar tréguas ao vírus! Vinguemo-nos na mesa!

2 comentários:

Renato Rodrigues Pousada disse...

Uma das coisas mais alegres destes dias é o multiplicar do interesse pelas coisas boas da mesa... Obviamente nem todos são cozinheiros de mão cheia mas até se perdoam... :-)
Renato (em Roma)

Anónimo disse...

Tomei a devida Nota! "Gracias"!