sábado, dezembro 09, 2023

Táticas e desejos

O almoço, há dias, num determinado contexto de convívio lúdico, corria de forma animada. Gente simpática, excelente ambiente, histórias e graças, bem-estar generalizado. 

Neste tipo de encontros é muito raro a conversa derivar para a política. A boa educação recomenda que esse tema - tal como religião, questões de dinheiro ou o comentar negativamente pessoas ausentes que possam ser próximas de alguns dos presentes - seja evitado, por forma a não provocar desnecessárias divisões e potenciais conflitos. Ainda por cima em período de crise política e com eleições ao virar da esquina.

Um dos convivas, porém, talvez por se ter sentido, por distração, em ambiente de "like-minded", saiu-se com esta: "Não acham que seria muito mais eficaz se houvesse uma aliança pré-eleitoral do PSD com o CDS e com a IL? O risco assim é muito grande". 

Não deixei pousar a bola e retorqui: "Essas coisas são sempre difíceis de prever. Mas é capaz de ter razão. Logo veremos. A mim, confesso, tanto me faz, desde que o PS ganhe". 

A luz da sala era artificial. Não deu para ver se alguns sorrisos foram tão amarelos como pareceram.

6 comentários:

Unknown disse...

E agora, sinceramente, Sr. Embaixador, acha mesmo que o PS merece ganhar, depois destes destrados 8 anos? E aqui para nós: acha mesmo que algum dos candidatos do PS tem categoria, ao nível dos que os precederam? Ou tudo isto se resume a um clubismo igual ao do futebol?
Por mim, embora o Montenegro não me entusiasme particularmente e a clique que o rodeia me assuste até, considero, ainda assim, que o sujeito tem um nível superior a qualquer um candidatos à liderança do PS.

Francisco Seixas da Costa disse...

Para o Unknown. Claro que quero que o PS ganhe. Um partido que foi afastado do poder pelo "voto" do Ministério Público deve regressar com o voto dos portugueses. Notei o seu entusiasmo perante o "líder" do PSD...

Unknown disse...

Já o disse uma vez: as leis que regem o Ministério Público e a sua actuação tiveram sempre a benção de António Costa. Por isso, não pode AC queixar-se, nem o PS.. Quanto ao entusiasmo pelo LM, não sinto nenhum. Sinto, sim, entusiasmo pela possibilidade de, nas próximas eleições, se arredar a esquerda do poder, ela que tem sido responsável pelo nosso empobrecimento. Mas posso vir a arrepender-me...

balio disse...

O PS certamente que ganhará os deputados que ganhar. Da mesma forma, outros partidos ganharão alguns deputados. Não haverá um único partido a ganhar. Uns ganharão mais, outros menos.

Nuno Figueiredo disse...

...o cantinho do Morais!

manuel campos disse...


Entre tácticas, desejos e sondagens, a última palavra cabe a um senhor belga que morreu há mais de 122 anos e se chamava Victor D'Hondt.

Hélder

Hélder Macedo é uma grande figura da cultura portuguesa. Fixou-se em Londres há seis décadas e aí construiu uma notável carreira académica, ...