sábado, dezembro 02, 2023

Luís Amado


No "Público" de hoje.

4 comentários:

Anónimo disse...

Os voos da CIA para Varadero, perdão, Guantanamo, são um bom exemplo.

Anónimo disse...

O Banif, que Luís Amado dirigiu, em má hora, depois de deixar de ser governante, custou ao Estado (dados de 2006) cerca de 2,4 mil milhões de Euros. Que os contribuintes tiveram de pagar, como habitualmente. A sua gestão foi desastrosa. Como prémio, saltou de seguida para a EDP, a mesma empresa que contrata políticos para melhor conseguir os seus objectivos (e dos seus accionistas). Tráfico de influências?
Entretanto, o Estado desde 2007 até 2019 já gastou com a Banca cerca de 24 mil milões de Euros (resta somar o que entretanto já foi gasto até este ano de 2023).
O Banif foi também o Banco receptor dos milhões do ditador da Guiné Equatorial, Obiang, após ter conseguido negociar o estatuto de observador na CPLP, graças a Luís Amado.
a) António Dias Lobo

balio disse...

O Ocidente fala de "uma ordem mundial baseada em regras" mas passa a vida a violar as regras.

jose duarte disse...

A Europa está cada vez mais próximo de uma caricatura do que os fundadores da "Comunidade Europeia" pensaram em construir.
Já não há mesmo qualquer ideia de como "reconstruir", pior ainda, os atuais dirigentes, desde a Comissão até ao BCE, não mostram qualquer capacidade para discutir uma "refundação da Europa". Novas perspetivas para o crescimento das economias, instrumentos mais inovadores nas áreas mais sensíveis: agricultura, indústria, articulação de medidas que permitam efetivamente avançar com as questões ambientais e ....
A nível político, quer dentro da UE quer em termos internacionais..é só ver e ouvir o que esses dirigentes dizem sobre os conflitos que nos rodeiam e...??

Hélder

Hélder Macedo é uma grande figura da cultura portuguesa. Fixou-se em Londres há seis décadas e aí construiu uma notável carreira académica, ...