sábado, 21 de setembro de 2019

Feitos ao bife!

Alguns amigos estranharam a minha acrisolada defesa do bife, depois da investida da Universidade de Coimbra contra a carne de vaca (anoto que, em rigor, ficou de fora a carne de boi e de vitela).

Ora a minha indignação tem uma história. É que o bife está indissoluvelmente ligado à memória diplomática portuguesa, como bem o demonstra este texto de Eça de Queirós em “Uma Campanha Alegre”:

Os diplomatas portugueses passam por agradar no estrangeiro pela sua palidez! Mas não se sabe que a sua palidez vem, não da beleza da raça peninsular, mas da fraqueza de legação mal alimentada. Onde um embaixador português mais se demora, não é diante das instituições estrangeiras com respeito, é diante das lojas de mercearia com inveja! E se eles não podem alcançar bons tratados para o País – é porque andam ocupados em arranjar mais rosbife para o estômago. Se não fossem os jantares da corte e as ceias dos bailes, a posição do diplomata português era insustentável. E ainda veremos os jornais estrangeiros, noticiarem: “Ontem, na Rua de… caiu inanimado de fome um indivíduo bem trajado. Conduzido para uma botica próxima o infeliz revelou toda a verdade – era o embaixador português. Deram-lhe logo bifes. O desgraçado sorria, com as lágrimas nos olhos.”

Que o país atenda a esta desgraçada situação! Que tenha um movimento generoso e franco! Dê aos seus embaixadores menos títulos e mais bifes! Embora lhes diminua as atribuições, aumente-lhes ao menos a hortaliça. Eles pedem ao seus país uma coisa bem simples: não é um palácio para viver, nem um landau para passear, nem fardas, nem comendas! É carne! Que o País no número do pessoal diplomático – diminua os adidos e aumente os bois.”

3 comentários:

Anónimo disse...

Boas.
Lá prós meus lados há uma pequenina piada que se enquadra neste "fait divers". Um casal vai visitar uns amigos e leva consigo o seu filhote. Durante o jantar e no meio de muitas conversas o cicerone pergunta ao rapaz: Diz-me lá, gostas mais do papá ou da mamã?-Carne!(responde o rapaz)
Cpts
Alendaqui

Anónimo disse...

Como as vacas loucas já se curaram ( acho que devia haver a especialidade de psiquiatria em veterinária , e o PAN agradecia desde que fizesse parte do tal SNS para animais , claro ) , os diplomatas portugueses actuais já vão usando a carne para croquetes ou bifes moídos e deste modo lá vão ingerindo algumas proteínas ... vendo bem os preços a carne é mais barata do que o peixe ... Será por isso que algumas Embaixadas Portuguesas eram conhecidas por : embaixada do croquete ?
O grande Eça de Queiroz desta vez deve ter exagerado ( só um pouco ) .
Quanto aos jovens que frequentam a UC , coitados , deviam ter o direito de comer carne se lhes apetecesse . Alguém já investigou se o Sr. Reitor ( ou algum familiar ) não será dono dalguma hamburgueria à coté da Universidade ? É que talvez desse jeito ...

Anónimo disse...

ULTIMA HORA : neste momento na India , decorre uma manifestação com 30 milhões de vacas a apoiarem o Reitor de Coimbra !
( sem confirmação oficial ... )