quarta-feira, 25 de julho de 2018

Portugal de pequenotes


Anda por aí um Portugal de pequenotes, de espíritos mesquinhos, enfim, um certo país de imbecis - para usar uma palavra redonda e de sentido unívoco.

Ver figuras públicas jogarem à política mais rasteira com a tragédia dos fogos na Grécia, com algumas outras a inquirirem de cátedra sobre o custo e a oportunidade da nossa ajuda de emergência ao governo de Atenas, causa-me uma imensa tristeza, como cidadão. 

Um sentimento que é do exato tamanho da deceção, por não ver os líderes políticos que lhes estão próximos, bem como os responsáveis pelos órgãos de comunicação social onde essas palermices foram ditas, pedir, muito simplesmente, desculpa.

9 comentários:

amadeu moura disse...

Pequenotes e anafados...

Luís Lavoura disse...

Concordo 100% com este post.

Anónimo disse...

Senhor Embaixador


Estou totalmente de acordo com o seu post.

É lamentável ver certas intervenções.

Francisco de Sousa Rodrigues disse...

Pelo que me parece deve ter sido do bom e do bonito. Ainda bem que não tive o desprazer de assistir a tal baixaria...

A Nossa Travessa disse...

Meu caro Franciscamigo

Poizé só posso fazer chover no molhado e acrescentar que são umas bestas/cavalgaduras.

Um abração deste teu amigo e admirador
Henrique, o Leãozão

Temos novo folhetim com o Gelson. Porra nem se consegue desencavar!...

Anónimo disse...

É perfeitamente natural que as pessoas, sabendo que o país teve dificuldades em arranjar meios aéreos de combate a fogos - e que está a pagar bem por eles! -, se interroguem sobre a cedência dos mesmos a terceiros, nomeadamente à Suécia que - assim somos levados a acreditar -, é um país rico e organizado.

Se calhar é só isto mas, como de costume, quem vive com todos os confortos do sofá e do whiskey tem difculdade em compreender a piolheira.

Francisco Seixas da Costa disse...

Ao comentador das 15.50. Eu normalmente não bebo whiskey (nome do whisky irlandês e americo-canadiano). Mas o seu comentário ajuda-me a perceber o que qualifica por “piolheira”. Por isso lhe agradeço.

Anónimo disse...

FSC, incapaz de contrariar o bom senso do chato das 15:50, prefere concentrar-se numa piadola sem graça. Eu cá, que não gosto de bebidas destiladas, concordo com o anónimo e com o D. Carlos.

Francisco Seixas da Costa disse...

Os melhores anónimos são os que, embora continuando a sê-lo, são heterónimos de si mesmos. Uns patuscos...