terça-feira, 3 de julho de 2018

Novilíngua

O Bloco anunciou o ”Direito à boémia - necessidade da vida noturna para produção e radicalização cultural”. É assim a modos que a reedição da fórmula que ligava um certo militar de abril ao balcão do Procópio: a via alcoólica para o socialismo.

Acho muito bem que se dê conteúdo teórico, sob a égide do politicamente correto, às coisas boas da vida. Estarei sempre desse lado da barricada, por muito que seja nele que o nosso fígado se estraga. 

Isto de ter de atualizar o léxico, para o pôr de acordo com os (agora, muito, as) atentos polícias da linguagem, é um trabalho de fôlego. Mas há que começá-lo, quanto mais não seja para que haja a esperança de que um dia seja possível ouvir, da parte de alguns amigos menos ortodoxos, que aquilo de que mais gostam é de “trabalhadoras do sexo e vinho verde”!

3 comentários:

Anónimo disse...

Ele é o lazer para entorpecer as populações para as mesmas não perceberm patavina do que se passa.

Ainda não entendo esta sociedade do lazer que os franceses inventaram com o Club Med.
É o pão e o circo dos romanos.

Anónimo disse...

O direito à bohémia.
WOW aonde chegámos.
Agora vai este governo começar a dar subsidios para a população começar a usufruir da bohémia como os subsidios à habitação.
Já chegámos à Madeira.

Anónimo disse...

Já agora, também o direito à preguiça. Chamem como assessores o Marx e o Lafargue