segunda-feira, 9 de julho de 2018

O turismo e os presidentes


O Augusto é o dono do “Charm Country”, um restaurante simples, algures numa estrada de Minas Gerais (a identificação geográfica não será muito útil, porque este Estado brasileiro é maior do que a França), onde já parei uma boa meia dúzia de vezes (como hoje fiz) para um feijão tropeiro e um queijo do serrado com goiabada cascão. 

Falámos de Portugal, que o Augusto não conhece, país de que lhe dizem muito bem (a ideia de que a generalidade dos brasileiros sabe bem o que é Portugal é um conhecido mito lusitano). “Parece que agora tem muito turista por lá! É pelo novo presidente, não é?”.

Embatuquei, confesso! Podemos tecer muitas loas, algumas bem merecidas, à ação do presidente, mas esta de ele ser responsável pela onda de turismo foi a primeira vez que ouvi. “A contrario sensu”, como dizem os juristas, poderíamos concluir maldosamente que Cavaco afastava os turistas?

3 comentários:

Anónimo disse...

Onde quer que esteja

Augusto, Tiradentes...whatever...Bebo 1 capirinha a VOSSA


PARABENS

F. Crabtree

Anónimo disse...

Efectivamente. Cavaco afasta turistas e portugueses.

Anónimo disse...

Diria mesmo, que afasta tudo!!Só tem uma coisa boa, é muito simpático!.