quarta-feira, 11 de julho de 2018

Descobertas, claro!


Aqui fica o artigo que hoje publico no “Observador”, com o título de “Descobertas, claro!

13 comentários:

Anónimo disse...

"Descoberta" foi descobri-lo no Observador. Se bem me lembro ...

MJ

Reaça disse...

Descobertas, é uma coisa, conquistas é outra, escravatura é outra, exterminação dos índios no Brasil, outra, (nem sobrou um indiosinho para entrar no sambódromo)e descolonização (africana) que foi o que estamos a ver, muito bom.

As descobertas foram de Dom Henrique a Fernão de Magalhães, cento e tal anos.

Os portugueses afro-descendentes, sino-descendentes ou indo-descendentes têm que reconhecer o esforço dos navegadores para hoje conhecerem o caminho daqui para lá e de lá para cá, sem passar pela Líbia e pelo Mediterrâneo.

Joaquim de Freitas disse...

Bom, Caro Reaça, descoberta,conquista,escravatura e colonizaçao eram simultaneas ou seguiam de perto a descoberta. E se hoje esses descendentes que cita não passam péla Líbia e não se afogam no Mediterrâneo é porque beneficiam de Schengen, com um passaporte português.

Anónimo disse...


E... porque não "Museu da Expansão de Portugal", pelo munddo.

Começaria pelas viagens de conquista de alguns espaços, Feitorias de trocas de produtos, como foi Macau até ao fim, porque o interior dos continentes só começou pelo Brasil no século XVIII.
Não nos esqueçamos que aquando do congresso de Berlim, no século XIX, pouco se sabia em Portugal o que era o interior de África. Veja-se a viagem de Ivens e outros.
E acabaria assim com a nova expansão dos imigrantes que ainda saiem hoje por não encontrarem em Portugal emprego para a sua formação superior.

Durante muitos séculos eram os renegados que íam para essas feitorias ganhar a liberdade quando voltassem.

A partir dos primeiros anos quarenta do século passado com o aparecimento de melhor transporte marítimo as populações europeias que lá viviam podiam vir a Lisboa mais frequentemente ou seja já estavam menos isolados. E foi assim que muita gente de qualidade passou a viver nas então chamadas colónias.

Recordo-me que quando fiz a tropa e encontrava-me a aguardar colocação, muitos dos que estavam na minha situação queriam era ir para Timor pois era uma bela vida.

Só uma nota sobre as atrocidades cometidas pelos "conquistadores" das feitorias... Deixemo-nos de anacronismos.

Mas nem sempre é possível pois a escola de historiadores em Portugal baseia-se sempre em criticar o passado para fazer ressaltar o presente. Foi assim no tempo dos liberais, dos republicanos, foi assim com Salazar e ainda é assim. É a prata da casa.

Anónimo disse...

A parte verdadeiramente importante da gesta portuguesa foram os descobrimentos, de novas terras, gentes e métodos de navegação e é isso que deve ser vincado no "Museu dos Descobrimentos".

Não nos devemos esquecer que a maioria da historiografia mundial falava da descoberta do caminho marítimo para a índia, por Vasco da Gama como factor catalisador do desenvolvimento do mundo moderno, o pré e o pós Gama.

Este museu, que me parece muito bem que seja criado, deve ser bem elaborado cientificamente tendo em conta o que os portugueses conseguiram alcançar e realizar, não descurando algumas partes menos positivas, mas não lhes dando o destaque imerecido que alguns defensores de teses revisionistas e de culpa pretendem.

Retornado disse...

Quando uma maioria razoável dos nacionais em Portugal se transformar em afro-descendentes, até o nome de Portugal poderá mudar de nome.

O mais complicado vai ser onde depositar todos os bustos e estátuas de tantos heróis, que deixarão de o ser.

Talvez nos Jerónimos, que será o "Museu" de má memória.

Para quem não se apercebeu, em geral nasceram na maternidade «Alfredo da Costa», a maioria dos filhos e netos dos polígamos ministros e governantes dos Palop durante estes 40 anos.

São muitos e todos portugueses, afro-descendentes, que não é a mesma coisa que ser simplesmente português.

Mas esperemos que não se criem guetos e importem leis tribais.

Anónimo disse...

Outro problema muito actual e que já ocorre em Espanha, não tardará nas cabecilhas das nossas conejas caviar:

"El Gobierno propone que cualquier acto sexual sin un ‘sí’ expreso sea delito
Calvo anuncia una reforma del Código Penal y de la Ley de Enjuiciamiento Criminal similar a la de Suecia para garantizar que los tipos no dependan de la interpretación de los jueces"

No fundo é sempre preciso umo notário presente para confirmar o acto do"sim" ou "não"

Anónimo disse...


Lamentável

Manuel do Edmundo-Filho disse...

Inteirameente de acordo com a análise! Museu das Decobertas? Museu dos Descobrimentos? Até podia ser (porque não?) o Museu do Império! O nome não é o mais. O mais é que se preserve a nossa hitória com as páginas brilhantes e as mais negras, como, aliás, a história de todos os países.

Anónimo disse...

Musée « de découvertes et conquêtes portugaises »voilà le vrai nom à ce musée.
Leurs conséquences en découleront automatiquement a pour « 
les avertis « 
Un musée doit être le reflet fidèle de tous les pans de L’Histoire que l’on veut transmettre sans omettre « ce devoir de mémoire « qui peut enorgueillir ou condamner!
Mr L’Ambassadeur a fait une très bonne analyse au grand dam cet intervenant sur Observador qui personnalise le débat par un lynchage indigne d’un intellectuel allant jusqu’a L’insulte..
A ce Monsieur je l’inviterai à revoir son Histoire qui demontre que le Portugal a été le premier pays à pratiquer l’esclavage et la traite négrière ..la mission des explorateurs portugais n’a nullement été civilisatrice conne il le prétend

Anónimo disse...

Pinto ....À celui qui écrit "cher Kiko",qui fut camarade de classe de Mr Seixas da Costa et qui intervient de manière incivile et éhontée sur ´Observator'´J'ose lui dire que ce Musee dont on cherche le nom de baptême ne doit pas pour le sacre saint principe de devoir de mémoire comme le souligne l'Àmbassadeur a juste titre , occulter que le Portugal a été le premier responsable de la destruction de l'Afrique
Ce Monsieur trahit sur son poste un sentiment de jalousie envers son camarade qui ne fut pas bon Eleve mais à qui il envie la réussite de sa carrière
Moi je trouve que Mr Seixas Da Costa n'est pas intelligent...mais Très intelligent!

Anónimo disse...

Pinto ....À celui qui écrit "cher Kiko",qui fut camarade de classe de Mr Seixas da Costa et qui intervient de manière incivile et éhontée sur ´Observator'´J'ose lui dire que ce Musee dont on cherche le nom de baptême ne doit pas pour le sacre saint principe de devoir de mémoire comme le souligne l'Àmbassadeur a juste titre , occulter que le Portugal a été le premier responsable de la destruction de l'Afrique
Ce Monsieur trahit sur son poste un sentiment de jalousie envers son camarade qui ne fut pas bon Eleve mais à qui il envie la réussite de sa carrière
Moi je trouve que Mr Seixas Da Costa n'est pas intelligent...mais Très intelligent!

Manuel Teixera disse...

Cher Kiko dites à Pinto que le Portugal a été responsable de la destruction de l’Afrique...Qu’il se documente au lieu de rejoindre les falsificateurs qui sciemment occultent les faits historiques au lieu de vous attaquer personnellement.