segunda-feira, 23 de julho de 2018

... in corpore sano!


Via-os passar sob a minha janela, a quase obscenas horas matinais, em passo de corrida, através dos trilhos pedestres, entre arvoredos, de calções ou fatos de treino. Ou então de bicicleta, nas manhãs do sol que ia havendo ou sob nuvens cinzentas, com o frio a cortar a cara. 

Eram os meus primeiros tempos de vida na Noruega e, a espaços, ia sentindo alguma pena (embora nunca inveja) de não ser como eles, de não ter esse espírito desportivo, ativo, de sair correndo pelos campos, lutando para perder peso e ganhar o cansaço saudável que a atividade implica. Depois, com os dias também a correr, essa fugaz tentação passou-me e, refastelado num sofá, fui-me acomodando a ser como sempre fui.

Há minutos, aqui, também numa capital do norte da Europa, ao abrir as cortinas da janela do quarto do meu hotel, lá estava o parque, com elas e eles, saudáveis e vigorosos, sob este estranho calor que nos falta aí em baixo, correndo, correndo, correndo. 

Olhei-os com idêntica admiração, mas já sem qualquer pena (ou será resignação?). E fui à porta do quarto, receber o pequeno almoço, com o New York Times ao lado. O comodismo militante, aprendi, é uma das mais belas doutrinas de vida, deixemo-nos de histórias.

E agora, desculpem lá!, vou trabalhar, porque todos os vícios têm um preço.

8 comentários:

Luís Lavoura disse...

Andam mas é a estragar o corpo.
Daqui a uns anos estarão cheios de artroses nos pés por terem corrido demasiado.

Anónimo disse...


Como não-politizado e "cobarde" militante, parece que estou enquadrado neste espectro político exposto no site abaixo indicado.
Finalmente já não me sinto assim tão desfazado.

https://www.agoravox.fr/culture-loisirs/culture/article/du-demilitantisme-sloterdijkien-206131

Anónimo disse...

Palpita-me que esses cultores do ginagismo e do joginig e correlativos devem ganhar tanto tempo de vida como aquele que perdem com essas actividades; com esse tempo eu vou fazendo outras coisas...

Anónimo disse...

Cuidado, Sr. Emb., com certas dietas.
Para um convicto "connaisseur " que gosta de escolher o aonde, o quê e como come uma dieta muito perigosa, para quem quer e deve ser ouvido, é o "New York Times".JS

Anónimo disse...

Não imagina como sabe bem acordar às 5h, correr 20 ou 30 km e ir trabalhar completamente revigorado.

Francisco de Sousa Rodrigues disse...

Não se preocupe, Sr. Embaixador, fez melhor dar-se a boas chazadas de sofá:

"Além disso, o presidente da Associação Portuguesa do Sono [Dr. Joaquim Moita] salienta que é necessário não ir atrás de "manias e modas", que vão surgindo, como "o disparate de levantar cedíssimo e ir logo correr - é caminho andado para um enfarte". (Jornal de Notícias, 16.03.2018).

Totalmente de acordo com o comentador das 2 e 20 da tarde!

Anónimo disse...

Por falar em dietas e vida saudavel... o que tera ingerido o nosso muito caro Jean-Claude Juncker?

Podem ver no video abaixo

https://www.youtube.com/watch?v=oecvYFq_wi0

Anónimo disse...

Mas quem faz, sistematicamente, ginástica ou corrida matinal, ou até quem frequente ginásios, até estourar, faz bem à saúde. Segundo dizem os entendidos, sempre se morre 15 dias depois dos que nada fazem. Merece o sacrifício!.