terça-feira, 14 de setembro de 2010

Retratos lisboetas (1)

- Contamos consigo!

Não percebi o que o taxista queria dizer com a frase, ao ver-me sair do carro,  penosamente, com um visível esforço físico.

Minutos antes, ainda dentro do taxi, eu tinha tido uma conversa telefónica com um amigo, a quem havia dado conta do estado de evolução do meu joelho, depois de recente operação.

- Conta comigo, para quê? - perguntei, já de fora do carro.

- Para a seleção, claro! O amigo, quando ficar bom, é bem capaz de ficar a jogar melhor do que aqueles "morcões" que andaram a arrastar-se contra Chipre e a Noruega!

Não lhe dei razão, claro. Pelo menos, toda.

5 comentários:

Anónimo disse...

Com esse sentido de humor...
Ainda lhe dão Alta precoce.
Isabel Seixas

Alcipe disse...

Cruel piada! Mas bem lisboeta...

Mônica disse...

A mamae e eu andamos muito de taxi. E a gente sai uma hora rindo outra hora com vontade de denunciar.
com amizade Monica

Helena Sacadura Cabral disse...

Ó Senhor Embaixador e eu que julgava que tinha partido um pé.
Não sei o que será mais incómodo, mas para o taxista é evidente que com o joelho o Senhor fez um up grade!

Anónimo disse...

Para a seleção, claro!

Não será demasiado violento o programa de recuperação funcional?

Embora efetivamente exigente é a competitividade neuronal, mas o discerniment0 dificilmente se conquista em corridas intensas de 100 metros... Mais maratonas...

A ver pela literacia dos posts não precisa.
Isabel Seixas